Ministério Público Federal pede intervenção no hospital municipal de Foz

Mais bronca em Foz do Iguaçu.

O Ministério Público Federal no Paraná (MPF-PR), por meio da Procuradoria da República no município de Foz do Iguaçu, expediu recomendação ao secretário Estadual de Saúde, Michele Caputo Neto, para que seja decretada intervenção no Hospital Municipal Padre Germano Lauck, englobando bens, instalações, recursos humanos e serviços. No documento, o órgão orienta que a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) assuma imediatamente a gestão financeira e operacional da unidade por seis meses, prorrogável por igual período, para impedir a prática de qualquer ato na instituição pela Prefeitura de Foz do Iguaçu, bem como pelos diretores da Fundação Municipal de Saúde e pelos membros da Comissão de Gestão do hospital.

Ao justificar a necessidade de intervenção o MPF enumera uma série de problemas constatados na administração dos recursos do SUS e também no funcionamento da instituição. Um relatório elaborado pela 9.ª Regional de Saúde relativo ao período de junho a dezembro de 2013 indicou má gestão de recursos pelo acúmulo de débitos com fornecedores e prestadores de serviço, bem como o não pagamento de encargos patronais; falta de medicamentos, entre eles de antibióticos para o atendimento de pacientes internados; realização de 30 exames médicos por Autorização de Internação Hospitalar (AIH), quando a média para um hospital do porte do hospital municipal de 8 exames por AIH; procedimentos cirúrgicos realizados fora do bloco cirúrgico; irregularidades na contratação de empresas terceirizadas, entre outros pontos.

Deixe uma resposta