Moro condena 16 pessoas por desvios de dinheiro em contratos de educação a distância no IFPR

do blog do Fernando do Tupan

Bibiana Dionísio, Thais Kaniak, José Vianna, G1 PR e RPC Curitiba

Dezesseis pessoas foram condenadas por desvio de dinheiro no Instituto Federal do Paraná (IFPR) que foi investigado pela Operação Sinapse. As irregularidades ocorreram em contratos para Educação a Distância (EaD) de 2009 a 2013, e o juiz Sergio Moro, que julgou o caso, determinou que os cofres públicos sejam reparados em, pelo menos, R$ 6,6 milhões.

Ao todo, a ação tem 28 réus entre servidores públicos e pessoas ligadas a Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscips). Eles foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) por crimes como peculato, corrupção passiva, falsidade ideológica, fraude em licitações e associação criminosa. *Veja a lista dos condenados mais abaixo.

A sentença foi publicada na segunda-feira (7), quatro anos após a deflagração da operação, em 8 de agosto de 2013. Moro afirmou que “infelizmente” não foi possível sentenciar antes em virtude da complexidade do caso e do acúmulo de trabalho causado pela Operação Lava Jato.

De acordo com a denúncia do MPF, os crimes ocorreram em cinco termos de parceria celebrados pelas Oscips Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas para Otimização da Tecnologia e da Qualidade Aplicadas (Ibepoteq) e Agência Brasileiras de Desenvolvimento Econômico e Social (Abdes) com o IFPR.

O dinheiro público, conforme a acusação, foi desviado por meio de contratos simulados. (leia mais)

0 thoughts on “Moro condena 16 pessoas por desvios de dinheiro em contratos de educação a distância no IFPR

  • 08/08/2017, 21:37 em 21:37
    Permalink

    Um dos condenados é José Bernardoni Filho que foi secretário de planejamento do Alvaro Dias.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: