Movimentos sociais fazem protesto na Bolsa de Valores

do G1

Integrantes de movimentos sociais ocuparam por cerca de uma hora nesta quinta-feira (23) a B3, sede da Bolsa de Valores brasileira, na cidade de São Paulo, em protesto contra o desemprego, a inflação e a fome.

De acordo com os manifestantes, o local do ato foi escolhido porque as ações das grandes empresas estavam em alta até meados deste ano, e o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu, mas a expansão foi desigual e deixou de fora especialmente a classe de renda mais baixa. (leia mais)

7 thoughts on “Movimentos sociais fazem protesto na Bolsa de Valores

  • 23/09/2021, 17:58 em 17:58
    Permalink

    Parece sem terra, ou greve da UEL, tem, tem motivo pra ter, não muda nada e pior atrapalha todos…

    Resposta
  • 24/09/2021, 07:42 em 07:42
    Permalink

    Em Curitiba surgiu o Movimento Estudantil com Fome: quer a reabertura dos RUs e sua invasão até a reabertura total e grátis do Restaurante Universitário da UFPR. O nome sugestivo é ALVORADA DO POVO.
    Pichação em vermelho nos muros.
    RU neles.
    Gororoba Forever!
    Que a Alvorada Pesquisas resplandeça em Mao Tse Tung na Reitoria.

    Resposta
  • 24/09/2021, 09:44 em 09:44
    Permalink

    Isso sim que é protesto.
    Protestar contra baixos salários, custo de vida altíssimo, concentração de renda e terra, lucros exorbitantes é legitímo.
    Esses movimentos para defender político, seja quem for, é que é equivocado, do ponto de vista político mesmo.
    Como dizia Paulo Freire, “…meu desejo, o meu sonho, como eu disse antes, é que outras marchas se instalem nesse País, por exemplo, a marcha pela decência, a marcha pela superação da sem vergonhice que se democratizou terrivelmente nesse País…essas marchas nos afirmam como gente , como sociedade querendo se democratizar”.

    Resposta
    • 24/09/2021, 16:52 em 16:52
      Permalink

      Poxa, Senildo, precisa conferir o que escreve. Essa notícia saiu até no G1. O amigão aí acha que a Globo não ia dar notícia do FMI? Logo notícia do Fundo Monetário Internacional. Eu li o relatório original e fiquei muito preocupado. Aliás, mais preocupado já que o arrocho salarial da dupla Guedes & Bolsonaro está esvaziando a minha geladeira. O amigão aí deve estar sossegado porque deve estar faturando uma boa grana graças às medidas econômicas do atual governo. Esse relatório que deixou o amigão aí babando previu que que o crescimento da economia brasileira em 2022 caiu de 2,6% para 1,9%. Muito abaixo da média mundial que o FMI diz que vai ser de 4,9%. Segundo o FMI, amigão, em 2022 o crescimento do PIB miliciano brasileiro vai perder até o para o PIB da África Sub-Saariana, que será de 4,1%.

      Resposta
    • 24/09/2021, 19:34 em 19:34
      Permalink

      Genildo, de que adianta, quem se beneficia desse suposto desempenho da economia? Os ricos, que ficaram mais ricos, mesmo na pandemia, e os pobres mais pobres.
      14 milhões de desempregados.
      50 milhões na insegurança alimentar.
      Uberização da economia.
      Muitos abandonaram o Uber, por causa do alto preço do combustível.
      O poder de compra diminuiu muito, o custo de vida está altíssimo.
      E, será que, FMI é confiável? É crível?
      Financiam governos, visam lucros.
      #ForaBolsonaro.

      Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: