Nota de esclarecimento da CPL – Clinica Psiquiátrica de Londrina

A Clínica Psquiátrica de Londrina (CPL) e a Vila Normanda, Clínica Psiquiátrica Comunitária, esclarece que, desde o início, tem colaborado com as investigações instauradas pelo Ministério Público de Londrina. E que o atendimento aos pacientes internados e o apoio aos familiares seguem sendo oferecidos com a qualidade e compromisso que sempre foram marcas das clínicas.

Entendemos que nenhum paciente, ou seus familiares, podem ser prejudicados pelas acusações infundadas das quais o serviço tem sido alvo.

Informados ainda que a administração das Clínicas já encaminhou ao MP e órgãos competentes respostas documentadas mostrando que as denúncias não correspondem à realidade.

Lembramos que, por serem unidades hospitalares e por prestarem serviços para o SUS (Sistema único de Saúde), por lei, elas estão sujeitas a fiscalizações rotineiras tanto dos órgãos municipais quanto estaduais.

Só o município e o Governo Estadual, através das secretarias competentes fiscalizam pelo menos três vezes por semana as quatro unidades que fazem parte do sistema de atendimento que hoje representam mais 30% do total de vagas de todo o Estado do Paraná para pessoas com doenças mentais – são 290 leitos nas 4 unidades. Após a iniciativa do MP – desde fevereiro deste ano, as fiscalizações têm sido diárias.

Clinicas contam com histórico de notas excelentes nas avaliações municipais e do estado

Desde que o sistema de fiscalização foi criado por lei, as Clinicas sempre obtiveram notas excelentes nos quesitos que avaliam qualidade do serviço prestado de forma ampla e de acordo com as exigências legais. Importante salientar que, mesmo após a mudança da equipe de fiscais feita pelo MP – a operação do MP foi iniciada em fevereiro – a avaliação de março manteve as notas altas. As eventuais observações feitas pelos fiscais trataram de questões pontuais de fácil e rápida adequação, que na maioria dos itens exigidos não chegou a prejudicar o resultado final da avaliação que manteve as notas altas.

Números das Clínicas

O sistema de atendimento é composto por quatro unidades: A Clínica Psiquiátrica de Londrina (CPL), que trata pacientes com doenças mentais; A Villa Normanda Clínica Psiquiátrica Comunitária – para dependentes de drogas; O Hospital Dia e o Ambulatório de Psiquiatria de Londrina, onde são realizadas as consultas e acompanhamento dos casos.

Juntos eles somam cerca 290 leitos e responderam pelo atendimento de cerca de 2.200 pacientes só e 2018. Da estrutura do sistema, 90 % é só para atendimento do SUS. O que significa que todo paciente que dá entrada no sistema é enviado pela Central de Regulação de Leitos de Londrina e do Estado e os que são encaminhados chegam em situação grave.

Cada paciente tem um período de internação diferente, mas embora o tempo possa ser menor dependendo do caso, ele costuma variar de 30 a 90 dias. Há fila de espera de pacientes aguardando vagas em toda a região, pois o número de leitos é muito inferior à demanda, assim raramente há leitos disponíveis.

Para se ter uma ideia, a média de internações por mês, em 2018, na Villa Normanda, foi de cerca de 1800 diárias por mês. Importante ressaltar que o tempo de permanência do paciente também é alvo de fiscalização contínua e qualquer discrepância é averiguada e precisa ser justificada. A diária do SUS é de aproximadamente R$ 150,00 o que inclui: pouso, 5 refeições diárias, equipe de atendimento médico multidisciplinar 24 horas por dia; medicação (farmácia); equipe de recreação e reabilitação, entre outros.

Deixe uma resposta