Investigação de falsos testes de Covid pode chegar a outros paranaenses

da CATVE

A Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos da Policia Civil do Paraná abriu inquérito policial para investigar a denúncia de falsificação de 14 exames da Covid-19 contra o Cascavel Clube Recreativo. O protocolo da Federação Paranaense de Futebol exige a realização de exames antes de cada jogo marcado no Campeonato Paranaense e no jogo com o Athletico a entidade identificou indícios de fraude. O delegado responsável pelo caso, Luiz Carlos Oliveira, afirmou nesta segunda-feira (26) que todas as pessoas envolvidas no caso serão procuradas, incluindo a FPF, o laboratório contratado pelo CCR, o Athletico e o Cascavel CR.
A investigação também pretende apurar se em outros jogos aconteceu a mesma tentativa de fraudar o protocolo da Federação. Segundo o delegado, durante o inquérito outros clubes também serão procurados pela delegacia para confirmar se todos os participantes estão cumprindo o protocolo à risca. Ainda de acordo com ele, na partida com o Athletico três jogadores do CCR estavam com sintoma da coronavírus.

Os responsáveis vão responder por falsificação de documentos. A lista dos jogadores, integrantes da comissão técnica e da diretoria do clube já foi repassada pela Federação à Polícia Civil. Para o delegado a contratação de um laboratório distante de Cascavel já é motivo de desconfiança.

A investigação tem um prazo de 30 dais para ser concluída, mas pode ser prorrogado se a Polícia Civil entender necessário. Além desse inquérito policial o caso será levado ao Ministério Público do Paraná e já foi denunciado também ao Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná.

Quatro jogadores do Cascavel CR foram impedidos de jogar na Arena da Baixada, pouco antes do jogo contra o Athletico. Lapa, Castro e Gabriel Oliveira seriam titulares, enquanto Enzzo, outro vetado, não chegou a viajar com a delegação por estar se recuperando de uma lesão. (veja mais)

Deixe uma resposta