O estaleiro sem terreno

Coluna Brasil Confidencial – Isto É

Documentos recebidos pela força-tarefa da Operação Lava Jato indicam que a empresa WTorre ganhou do governo Lula a área de 113 mil metros quadrados para a construção do Estaleiro Rio Grande. Mas a cessão do terreno foi formalizada mais de um mês após o término da concorrência da Petrobras. Ou seja, a empreiteira venceu a disputa sem ter onde construir o estaleiro. A licitação feita pela consultoria Rio Bravo previa que empreiteiras e consórcios fizessem ofertas de parceria para a obra, sendo responsáveis pelo fornecimento da área com condições para erguer grandes plataformas para uso no pré-sal.

Sem gastar um centavo 
A concorrência foi encerrada em abril de 2006. Em 16 de maio, o então ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, transferiu os direitos de uso da área para o estado do Rio Grande do Sul, que o repassou imediatamente à WTorre. Depois, a empresa entregou o
terreno à Rio Bravo para lastrear a um fundo imobiliário. Após dez anos, a propriedade ­retorna para a empreiteira.

 

Deixe uma resposta