O propagandista e a fila de espera da ninguenzada

Do blog do Zé Beto

O deputado estadual Leonaldo Paranhos (PSD) propôs uma lei que intrigou quem viu o texto. Trata-se de uma proposição para liberar que “propagandistas” da indústria química tenham acesso a consultórios médicos de hospitais públicos para apresentar novos medicamentos para os doutores de plantão que atendem pelo SUS. O parlamentar poderia explicar para a ninguenzada, que fica trocentas horas na fila de um ambulatório ou na enfermaria, porque vai ter que aguardar mais um pouquinho por uma consulta ou visita enquanto os (pouquíssimos) médicos estão vendo propaganda de remédio que talvez nunca seja usado pelo doente. Qual é o interesse social da nobre iniciativa? Incentivar a indústria farmacêutica?

Do Paçoca: Em Londrina alguns médicos que atendem pelo SUS já fazem isso. Volta e meia os pacientes que aguardam atendimento em postos de saúde e hospitais públicos veem os famosos “propagandistas” furando a fila para serem “atendidos”.

Deixe uma resposta