O Secretário sem governo…

Por Fernando Rodrigues

Acho sacanagem jogar nas costas do jornalista e poeta Hudson José os pífios resultados da comunicação do governo de Ratinho Jr. Ele não é mágico, como poderia mostrar serviço numa gestão inexistente?
No Estado da PR-323 e da Br-277, duas rodovias da morte, o governador resolveu criar uma malha aérea num território com menos de 1000 km de uma ponta a outra. Podia ter brigado pra recuperar os 8,5 bilhões que o MP calculou como desvio nos esquemas do pedágio, podia ter chamado o Exército pra fazer as obras urgentes que milhares de paranaenses esperam faz tempo…
Nada! Autorizou um trevo novo em Cascavel, recapeamento de alguns trechos e, vejam só, o maior volume de grana no setor de infraestrutura foram os 2,3 bilhões pagos a empreiteira CR Almeida por obras do século passado, dívida que os governos anteriores sempre tentaram cobrar do governo federal.
Ratinho Jr viveu o primeiro ano de governo em cima do que foi deixado por Beto Richa, inclusive o orçamento. Passou 2019 e continua agora se valendo dos bilhões investidos pela Klabin, algo definido antes do atual governo pela própria natureza do setor de celulose.
Diante das crises e enfrentando adversários fortes como os professores, Ratinho Jr parecia…um ratinho fugindo da vassoura da APP.
Com mais de 500 mil desempregados, o Paraná não viu nenhuma obra ou programa que pudesse enfrentar pra valer o tamanho dessa tragédia que tira o sono e as esperanças das pessoas. Mas criou um projeto pra aliviar as dívidas dos empresários com o Estado, repetindo a gentileza de sempre…
O Paraná vigoroso, oásis brasileiro, só existe na propaganda que encheu de “valores” os bolsos das empresas de comunicação, incluindo a da família do governador.
Quem acompanhou as redes sociais de Ratinho Jr viu a frequente presença de repórteres e apresentadores, espécie de assessoria terceirizada…
Ok, o governo também apareceu bem na imprensa local, municipal, jornais, tvs, sites etc sempre com a primeira página pronta para elogiar o bom pagador.
A oposição, nunca antes tão fraquinha, também ajudou.
2019 foi um ano perdido!
Botar a culpa no secretário que não fez nada errado, nem certo é fugir do principal, a inanição governamental que nem a barba do Darci esconde…
Como eu disse, Hudson José é jornalista, poeta e, além da comunicação, ficou com pasta da Cultura e a operação verão, o que resultou na série de shows sertanejos na beira da praia.
O governador deve ter achado a iniciativa…massa!
Trocar secretário é igual trocar técnico de futebol quando o time não vai bem. Agrada a torcida no começo mas não resolve se em campo continuar tudo igual..
Andam espalhando que Hudson pode cair pra cima, assumindo um cargo na Sanepar. Vai ver alguém chegou e disse: “Hudson é nome de rio, governador. Rio é água, água é…”

Fernando Rodrigues é jornalista em Curitiba

3 thoughts on “O Secretário sem governo…

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: