3 thoughts on “Pedágio previsto na PR 445, saída de Londrina

  • 11/02/2021, 13:50 em 13:50
    Permalink

    Quá! Quá! Quá! Acabou a moleza do pedágio petista. Sabe… aquele pedágio cheio de corrupção – conforme acusavam os antipetistas – mas que era mais barato que o pedágio impoluto do São Paulo governado pelos tucanos. Acabou a moleza. Isso que aparece na foto ilustrativa é o que será daqui pra frente. R$ 9,35 pra passar pela merda de estradinha que é hoje com umas obrinhas decorativas. Quando for duplicado, nesse trecho da PR-445,o preço pula pra R$ 13,09. Não dá nem pra comparar com o pedágio da BR-101, no trecho em SC, licitada no governo Lula: R$ 3,90 hoje. E olhe que o governo Bolsonaro já virou uma mãezona para a concessionária que administra o pedágio da BR-101, no trecho em SC. Explico: no começo do ano passado, a tarifa era R$ 2,70, no final do ano subiu para R$ 3,90. Mas a turma do Bolsonaro e seus aliados, assim como os tucanos, gostam mesmo é de pedágio caro. No governo Dilma, o pedágio na BR-163, no MS, foi contratado com tarifas que iam de R$ 5,10 a R$ 7,80. A concessionária desse trecho acabou de ganhar um presentaço do governo Bolsonaro. O conselho do PPI (Programa de Parcerias e Investimentos) acabou de aprovar a relicitação do pedágio da BR-163, no MS, com certeza não é pra baixar o preço do pedágio. Quá! Quá! Quá! Quem gosta de se “fudê” que continue votando na cambada do Ratinho e do Bolsonaro…

    Resposta
  • 11/02/2021, 16:41 em 16:41
    Permalink

    Proposta de gênio! A praça de pedágio já conta de cara com uma freguesia boa: de Irerê, Lerroville, Tamarana, Paiquerê. E esse negócio de oferecer metade do pedágio para emenda parlamentar tá mais pra corrupção mesmo…

    Resposta
  • 12/02/2021, 11:10 em 11:10
    Permalink

    O que nenhum paranaense sabe é que as concessionárias são fiscalizadas por consultorias contratadas pelo Estado do Paraná, com recurso do tesouro do estado, portanto, dinheiro do contribuinte. Além do mais as consultorias são ligadas aos empreiteiros. No governo Requião, do acaba ou abaixa, ele não autorizou fazer licitação para tal fim. As concessionárias foram fiscalizadas pelo Tecpar. Até hoje ele responde um processo no Tribunal de Contas do estado.
    Além de um pedágio caríssimo o contribuinte ainda paga para as concessionárias serem fiscalizadas por consultoria.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: