PF prende ex-deputado Vaccarezza. R$ 122 mil foram encontrados na casa dele

O Globo

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta sexta-feira, a 43ª e a 44ª fases da Lava-Jato no Rio de Janeiro e em São Paulo. O ex-deputado federal Cândido Vaccarezza, ex-PT, é um dos alvos de prisão temporária. É a primeira vez que a PF realiza duas fases da operação ao mesmo tempo. As operações foram batizadas de Sem Fronteiras (no Rio) e Abate (em São Paulo), respectivamente. Vaccarezza é investigado por receber boa parte dos US$ 500 mil oriundos em propina do esquema, segundo o Ministério Público Federal, “agindo em nome do Partido dos Trabalhadores”.

Durante entrevista coletiva sobre as operações deflagradas nesta sexta-feira pela Lava-Jato, o delegado Felipe Hille Pace confirmou que os agentes da Polícia Federal (PF) encontraram R$ 122 mil em espécie na residência do ex-deputado federal Cândido Vaccarezza (PTdoB) durante a deflagração da Operação Abate. A PF investiga o recebimento de US$ 438 mil em pagamentos de vantagens indevidas ao ex-deputado.

Foram expedidas 46 ordens judiciais, sendo seis mandados de prisão temporária, 29 de busca e apreensão e 11 de condução coercitiva. Todos os presos serão encaminhados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Segundo a PF, a Operação Sem Fronteiras, que ocorre no Rio de Janeiro, mira a relação entre executivos da Petrobras e grupos de armadores estrangeiros para “obtenção de informações privilegiadas e favorecimento obtenção de contratos milionários” com a estatal.

A Operação Abate, por sua vez, ocorre em São Paulo e investiga um grupo criminoso que seria “apadrinhado” por Vaccarezza. A PF suspeita que o ex-parlamentar utilizava influência para obter contratos da Petrobras com uma empresa estrangeira, que teria direcionado recursos para pagamentos indevidos a executivos da estatal e agentes públicos e políticos, além do próprio ex-deputado.

Em 2015, a Polícia Federal indiciou Vaccarezza em meio às investigações da Operação Lava-Jato, por recebimento de propina derivada de contratos da Petrobras. O inquérito apontava indícios de corrupção passiva dos três políticos. Segundo o documento, Vaccarezza teria recebido em seu apartamento, em São Paulo, valores do doleiro Alberto Youssef, personagem central da Lava-Jato, a mando do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, para a sua campanha à Câmara de 2010

Vaccarezza deixou o PT em 2016 após alegar divergências com a então presidente da República, Dilma Rousseff.

2 comentários em “PF prende ex-deputado Vaccarezza. R$ 122 mil foram encontrados na casa dele

  • 21/08/2017, 10:28 em 10:28
    Permalink

    Esse aí foi do PT? Tá ferrado! Só sai quando delatar o Lula e a Dilma! Sorte tem o Octacílio Monteiro que foi preso pela Lava Jato do Rio de Janeiro, mas, como não é do PT, já recebeu HC do ministro tucano Gilmar Mendes. Octacílio Monteiro tinha em casa, em dinheiro vivíssimo, R$ 2,3 milhões, 5,4 mil dólares e 7 mil euros. Perto do Octacílio, o Vacarezza parece ser um trombadinha de ônibus coletivo.

    Resposta
    • 22/08/2017, 21:04 em 21:04
      Permalink

      Parece que o juiz Moro concedeu um bônus para o Vaccarezza. Vai ver que é porque o Vaccarezza saiu do PT. E o ex-deputado petista já deve ter ido para casa…

      Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: