PM garante a permanência de no mínimo dois policiais nos municípios menores

A gritaria é geral. Os prefeitos da região de Londrina reclamam que a criminalidade aumentou e o policiamento da PM diminuiu.

Aí, ontem, participaram de uma reunião organizada pela Associação dos Municípios do Médio Paranapanema (AMEPAR)  com o 2º Comando Regional da Polícia Militar – 2ª CRPM,  no 5º BPM, em Londrina.

Ficou acordado que já a partir da próxima semana todos os municípios da região poderão contar com no mínimo dois policiais. Durante a reunião realizada a pedido da AMEPAR, o presidente da associação e prefeito de Centenário do Sul, Luiz Nicácio, relatou a preocupação frente a redução do número de policiais nos municípios.

Nicácio ressaltou que policiais vem sendo retirados dos municípios sem serem repostos  deixando a população desassistida e assustada com a falta de segurança.  “A AMEPAR se mobilizou e conseguiu a ampliação do número de policias em 2016. Mas mesmo com a promessa  de que  o efetivo recém formado ficaria nos municípios isto não aconteceu e a situação em alguns municípios até piorou”. Informou ainda que o número de infrações e crimes tem aumentado devido a  ausência de policiamento constante.

O prefeito de Bela Vista do Paraíso, Edson Vieira Brene, conta que o município já teve  duas viaturas e 5 policias, mas que atualmente  conta com apenas dois policiais. A situação se agrava ainda mais porque quando há ocorrências nas proximidades a viatura é deslocada para o atendimento deixando o município sem nenhum policial. O CEMEI da cidade foi invadido e destruído esta semana e na semana passada uma escola foi vandalizada.

Alvorada do Sul é outro município que sofre com a falta de segurança. O prefeito Marcos Voltarelli diz que agora só conta com um policial na cidade.  “Como há apenas um, ele está proibido de atender qualquer ocorrência. Estamos vivendo sem nenhuma segurança”, lamenta. O presidente da AMEPAR,  informou que a situação é a mesma em Lupionópolis e Cafeara.

Porecatu tinha montado o serviço da ROTAM, com uma equipe de 5 policiais que atuava também nos municípios vizinhos com ótimos resultados. Mas o prefeito  Fábio Luiz Andrade relatou que o serviço foi extinto e agora o município só conta com dois policiais. “ Precisamos de ampliação do serviço e não de retração”, defendeu.

Sistema Inteligente

O Comandante Prates aproveitou a reunião com os prefeitos para garantir que todas as alterações no sistema de policiamento poderão ser discutidas e adequadas em conjunto com os municípios. Ele explicou que está implantando um sistema inteligente de policiamento que tem como objetivo atuar mais fortemente na prevenção e que, para isto, vai precisar da parceria com as prefeituras.

Segundo a PM , o 15º Batalhão da PM  tem hoje 220 policiais, quando deveria ter pelo menos 306. “Não há previsão de aumento de efetivo para 2018 e 2019, portanto, igual aos senhores, estamos trabalhando com déficit e precisamos criar sistemas  eficientes com o que possuímos.”, argumentou.  Com o novo sistema o Comandante acredita que será possível  ampliar a presença em toda região através de operações planejadas de acordo com as demandas dos municípios. Além da presença de um policiamento mínimo de acordo a população de cada município, a PM realizaria operações pelo menos uma vez  por semana em cada município.

Os prefeitos aprovaram a proposta e aceitaram fazer uma experiência de dois meses para avaliar os resultados.  Em abril a AMEPAR deve voltar a se reunir com o 2º Comando para apresentar sua avaliação e, se necessário, propor ajustes. “O sistema promete ampliar a presença da polícia nos municípios e isto é positivo. Mas o mais importante é que conseguimos garantir policiamento mínimo e deixar clara nossa defesa do 15º BPM e a importância do Estado investir nele”, frisou Nicácio.

Deixe uma resposta