Podemos vai seguir para o centro(ão)?

O deputado federal Diego Garcia (Podemos), radicado em Londrina, é um dos novos vice-líderes do governo Bolsonaro na Câmara Federal. E pode sair da bancada do partido no Senado – que tem Alvaro Dias, Oriovisto Guimarães – o novo ministro da Educação.

Álvaro Dias vai amenizar as críticas? Vai seguir para o centro?

5 thoughts on “Podemos vai seguir para o centro(ão)?

  • 10/07/2020, 11:02 em 11:02
    Permalink

    Lerê doutor Álvaro… Já nem fico com raiva ou dou xilique. Nem sinto nada quando vejo esses impropérios da politíca. Quem diria entre 2010 e 2018 ver juntos Álvaro e Ricardo Barros. Em Maringá já é realidade. Aqui tbm tem uma movimentação entre ele e o prefeito de Londrina e sua trupe pepista. Com todo respeito, Dias sabe muito bem como se comportar na politíca. Sendo politíco.

    Resposta
    • 10/07/2020, 14:52 em 14:52
      Permalink

      Eu fico a pensar sobre os partidos políticos no Brasil e o problema semântico dessas denominações: Cidadania, Solidariedade, Partido Trabalhista Brasileiro PTB, Partido Progressista PP, Movimento Democrático Brasileiro MDB, Partido Social Cristão PSC, Partido Social Liberal PSL, Democratas DEM, Republicanos. E, concluo que, cristão não é, solidário não é, democrático não é, social não é, trabalhista não é, republicano não é, é, PURO FISIOLOGISMO. Podemos o que?

      Resposta
      • 10/07/2020, 20:34 em 20:34
        Permalink

        Politíca é onde se amealha a classe que a senhora, querida Gláucia, que como eu sustenta o essa corja com impostos e as vezes a penúria. Sim, nos privamos de tantas coisas por causa da carga tributária que o brasileiro paga que acaba indo a falência e vivendo na penúria. Só por Deus mesmo Gláucia. Definiu também que perco até as palavras. Veja nosso conterrâneo Álvaro Dias. O POST acima diz TD. Bem vinda ao blog!!!

        Resposta
  • 10/07/2020, 12:41 em 12:41
    Permalink

    O Podemos ir pro centro ou centrão só se ele estiver dando uma desviada à esquerda. O Podemos nunca passou de um puxadinho do governo Bolsonaro. Na Câmara Federal, a bancada do Podemos sempre votou bovinamente nas propostas do poder executivo. Esse deputado londrinense, Diego quem? Garcia, vai ser vice-líder do governo Bolsonaro? Quá! Quá! Quá! Político do baixo clero ser vice-líder? Político do baixo clero nunca deixa de ser político de quinto escalão. Ou sexto… sétimo… oitavo. Daqui a pouco o Diego vai achar que é Napoleão Bonaparte. Quá! Quá! Quá!

    Resposta
  • 10/07/2020, 23:27 em 23:27
    Permalink

    Oriovisto Guimarães é um nome forte e com bastante experiência para ocupar a cadeira de ministro da Educação. Aí está um bom nome. Por décadas, comandou a rede de ensino do Positivo, grupo de escolas particulares forte e bem sucedido de Curitiba, no Paraná. Ele tem fundou em 1982, o Liceu Mario de Andrade, que anos depois seria vendida a um grupo de 14 professores de cursinho, na época o Colégio Canadá possuía um time de professores com altos índices de aprovação de alunos nos vestibulares das faculdades públicas em várias cidades do Brasil. Não havia a universidade particular com a força que tem hoje – tanto que ter um diploma deixou de ser um diferencial – e o melhor negócio na área da educação era esse – aprovar no vestibular. Esses 14 professores então compraram mediante financiamento em algum banco estatal o Mário de Andrade. Mudaram o nome para Colégio Maxi que é uma das mais fortes empresas de londrina. Uma vitrine dos tempos que ocupava o terceiro lugar nas cidades do Sul brasileiro, antes de tomar uma rasteira de Joinville. Se comparado com o Velez, o Weintraub, Decotele, Renato Feder e até o ex reitor do Mackenzie, Milton Santos, o professor Oriovisto tem muito mais cancha. Se eu fosse ele, esperava a tremba do Jair cair para assumir a pasta com um presidente mais equilibrado. Esse maluco que fala asneira não dá futuro para ninguém.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: