Policial Federal vai para a Secretaria de Defesa; Indicado para SEMA desiste

O policial federal Carlos Alberto Nasser foi escalado para a Secretaria de Defesa Social.

E no meio de tantos anúncios também rolou a primeira desistência. O advogado e ambientalista Camillo Kemmer Viana, anunciado como o futuro Secretário do Meio Ambiente, desistiu da empreitada, alegando incompatibilidade profissional com a função.

Veja a carta que ele enviou ao prefeito eleito:

Londrina, 27 de dezembro de 2016.

Prezado Prefeito Marcelo Belinati.

Dias atrás tive a honra de receber de você o convite para compor a sua equipe na futura administração pública, assumindo a gestão da Secretaria de Meio Ambiente e da Agricultura de Londrina.

Ser lembrado num momento de tamanha importância é algo que enobrece qualquer pessoa, sobretudo quando parte de alguém que admiro, respeito e no qual aposto toda a confiança de que está profundamente comprometido em fazer o bem para a cidade de Londrina.

Somado a isso há o grupo que o cerca, cujas pessoas tem também a mesma sintonia e comprometimento, especialmente com os temas relacionados ao meio ambiente.

Considerando estes fatores, bem como a minha histórica dedicação às causas ambientais, senti-me empolgado para poder contribuir com a cidade. Vislumbrei a possibilidade de construção de uma nova forma de relacionamento com a sociedade, mais democrática, participativa, transparente e potencializando nossos valiosos ativos ambientais, negócios, entidades e pessoas, implementando ferramentas para o bom despenho na área, os quais Londrina possui e que nenhuma outra cidade tem igual, tal como fora também ressaltado por você durante o processo eleitoral.

Por esta razão aceitei prontamente o convite e desde aquele momento iniciei o processo de transição das minhas atividades profissionais, de forma que eu pudesse, a partir do dia 02 de janeiro, investir de corpo e alma neste novo desafio profissional.

Ocorre que, como é de conhecimento público, nos últimos anos dediquei minha jornada profissional junto à empresa Kurica Ambiental, maior licenciada para operação de resíduos sólidos em Londrina.

Pela primeira vez – e exatamente no final desta atual administração – a empresa acaba de vencer um contrato emergencial para a coleta dos resíduos domiciliares de Londrina. Além deste contrato, por ser empresa londrinense e voltada para o saudável crescimento do seu negócio e da cidade, é certo que a Kurica continuará a prospectar serviços públicos e privados na região.

Mesmo que o contrato tenha sido firmado na presente gestão e também não seja fiscalizado pela SEMA, tal fato poderá causar desconforto.

Embora absolutamente imprópria qualquer sugestão acerca da eventual ausência de imparcialidade e isenção de minha conduta, sobretudo porque efetivamente me desligaria da empresa ao final deste ano, tal fato tornou-se um peso que, certamente, nenhum governo que se inicia deve ser compelido a enfrentar – ainda que os ideais de uma cidade melhor estejam sempre à frente de qualquer interesse particular, os quais eu sempre me comprometi a defender.

Quem acompanha a minha ação na área ambiental de Londrina há mais de 10 anos – seja nas ONGs, no conselho municipal do ambiente, em parceria com outras importantes entidades de Londrina ou gerindo negócios privados – é testemunha, de forma transparente, do meu compromisso com a causa.

Sendo a Secretaria Municipal do Ambiente (junto com demais órgãos ambientais) responsável pelo monitoramento, controle e fiscalização das atividades da referida empresa, não encontrei caminhos viáveis para afastar as eventuais polêmicas, sobre eventuais conflitos de interesses com o posto para o qual fui gentilmente convidado por você – e para o qual aceitei com o maior carinho, vontade e atenção.

Acredito que, diante da possibilidade de existência de conflitos desta natureza, a gestão da secretaria ficaria comprometida, prejudicando assim o desenvolvimento de bons projetos e ações, os quais tem que ser o foco principal para que Londrina prospere. Diante disso, sinto-me impedido para assunção do cargo.

Assim, é de bom tom que, ainda antes da posse, o novo prefeito de Londrina sinta-se confortável para escolher outro ocupante para a pasta, razão pela qual sinto-me na obrigação de declinar ao convite que tanto me honrou e animou.

Tomo esta decisão, acima do meu desejo pessoal, unicamente para evitar desnecessário desgaste e propiciar que a nova administração de Londrina encontre ambiente sereno e tranquilo para administrar a cidade, afastando os riscos de discussões vazias e impróprias, mas que, como todos sabem, acabam por consumir significativamente a energia dos administradores públicos, o que não desejo que ocorra contigo e com sua equipe.

Fico sinceramente enaltecido pelo convite e pela deferência com que fui tratado neste curto período pela equipe, comprovando de perto a seriedade e qualidade do time que irá governar Londrina a partir de 2 de janeiro, fato que por si só me alegra.

Desejo à futura administração todo sucesso e tenho a certeza de que a equipe encontrará um novo nome que reunirá todas as condições para assumir este posto de tamanha importância.

Contem com o meu mais absoluto apoio e colaboração, principalmente como cidadão de Londrina e especialista na área.

Obrigado mais uma vez!

4 thoughts on “Policial Federal vai para a Secretaria de Defesa; Indicado para SEMA desiste

  • 28/12/2016, 15:44 em 15:44
    Permalink

    primeira baixa do MARCELO CANHADA, tomou um tiro ao primo canto, depois da maracutaia feita pelo pessoal com a coleta do lixo, nem o valente ambientalista resistiu ao cheiro de algo podre no ar. MARCELOS (belinati,canhada ou cortes), ja estão apanhando menos do que devem…..proximo alvo JAMIL JANENE o culto….esperem para ver.

    Resposta
  • 28/12/2016, 15:47 em 15:47
    Permalink

    Ja que o advogado, por decoro desistiu da empreitada, poderiam chamar o grande JOÃO DAS AGUAS, o homem esta com passe livre e tem uma vontade imensa de lutar pelo desenvolvimento da cidade.

    Resposta
  • 28/12/2016, 18:26 em 18:26
    Permalink

    Marcelo Canhadas e João Esteves que vai pra procuradoria eram os baluartes do PC do B com a Elza Correia nos idos dos anos 90. Esteves então é escolha do Canhadas.

    Resposta
  • 30/12/2016, 00:32 em 00:32
    Permalink

    O policial federal está na ativa? Se estiver, mais um erro da gestão técnica, humana e social, como intitulam por aí. O Estatuto dos Servidores Públicos da União permite a cessão de servidores federais com ônus ao ente federativo que recebe. Acontece que o Estatuto dos Servidores Públicos de Londrina proíbe o reembolso ao órgão que cede o servidor. Tá aí, ele vai tirar licença do serviço público pra assumir a pasta??? ( Lembrando que o TCU veda que servidores se licenciem para ocupar outro cargo/função pública). #ficadica; #Estudar LeiOrgânicaébasico;#EstudaroNossoEstatutoMunicipalTambém; #DireitoMunicipal; #AdEogadosDaTransição…

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: