Portadores de hemorroidas, uni-vos!

Por Calvino, um Cidadão Londrinense

Os direitos do portador de hemorroidas estão seriamente ameaçados por um projeto do vereador Gaúcho Tamarrado, na Câmara de Londrina. O nobre vereador, por falta do que fazer, resolveu inventar uma lei que proíbe que os passageiros do transporte urbano de Londrina fiquem em pé no veículo! Imagine que tormento os hemorroidados terão pela frente! (ou por trás!). Isso é um crime de lesa-pátria! Ou melhor, um crime de lesa-bum bum!
Só levando na brincadeira mesmo uma ideia esdrúxula como essa. O nobre vereador Tamarrado (aquele mesmo que pegou licença na Câmara para cuidar de uma hipotética doença no olho – o olho da frente mesmo – e foi fotografado pouco tempo depois usando suas vistas para jogar sinuca) poderia ter ficado calado e nos poupado de uma bizarrice dessas.
A inviabilidade do projeto é facilmente verificável.

Vejamos:
1) Inviabilidade econômica. Para fazer com que todos os passageiros que utilizam o transporte coletivo de Londrina ficassem sentados dentro do veículo, logicamente, a empresa concessionária teria que disponibilizar muitos mais carros. Se isso fosse viável, se a empresa concordasse em assumir os enormes custos com a compra de mais carros, logicamente ela repassaria essa conta para o usuário pagar. É óbvio que o passageiro preferiria andar em pé no ônibus a ter que pagar uma passagem, no mínimo, dez vezes mais cara.
2) Inviabilidade prática. Mesmo com a lei, as pessoas continuariam andando em pé nos ônibus. Muita gente, além dos hemorroidados, preferem ficar em pé nos ônibus. Até idosos. Lembro-me de uma vez que tentei ceder lugar para um idoso e ele ficou ofendido, preferindo ficar em pé. Isso sem falar nos espertinhos que preferem ficar em pé para observar o decote da moça sentada à sua frente. Preferências e brincadeiras à parte, consideremos os obstáculos na prática: Quem fiscalizaria e multaria as pessoas que descumprissem a lei e permanecessem em pé? A prefeitura teria que gastar mais ainda contratando fiscais, colocando um em cada ônibus, para aferir o cumprimento da lei? Ou a CMTU perseguiria e faria parar ônibus quando avistasse passageiros em pé, travando ainda mais o nosso permanentemente travado trânsito? As empresas teriam que contratar um monitor, um fiscal, para que, aproximando-se do cidadão que está em pé, tentar convencê-lo a sentar, e obviamente, r
epassar esse custo para a passagem também? Ou os passageiros seriam obrigados a presenciar gritos de cobradores cobrando que os que estiverem em pé sentem-se, senão ele, cobrador, seria demitido por não conseguir fazer com que a empresa não fosse multada?
Falando sério: certos políticos, principalmente aqueles que não tem nada o que fazer, pensam que apenas criando leis se revolvem os problemas do dia a dia. Não pensam nas consequências, na viabilidade da medida e, principalmente, em quem vai pagar a conta. É claro que muitas vezes, esses políticos não querem resolver o problema. Principalmente em vésperas de abertura de calendário eleitoral, querem é promoção, viabilizar suas futuras candidaturas. Ou querem apenas fazer o pequeno e feio jogo político-eleitoral, tentando obscurecer as boas medidas tomadas no setor em Londrina, como a adoção do passe livre para todos os estudantes.
Aos companheiros hemorroidados, fica aqui a sugestão de um slogan para os justos protestos contra o projeto: “Al al al! É melhor ter hemorroidas física do que hemorroidas mental!”

0 thoughts on “Portadores de hemorroidas, uni-vos!

  • 05/09/2015, 20:25 em 20:25
    Permalink

    Realmente, é muito inviável tratar a plebe com dignidade, nesse grande feudo londrinense.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: