Pré candidato a vereador arruma enguiço ao propor petição Londrina sem Gênero

E o pré-candidato a vereador, o advogado Filipe Barros, arrumou um enguiço com integrantes do Coletivo JUREHMAH – Jornalistas Unidas na Resistência ao Machismo e a Hegemonia.

O pré-candidato quer beliscar os votos dos grupos bem mais à direita. Ele tem produzidos videos, disponibilizados nas redes sociais, chamando a população para que adiram à petição “Londrina sem Gênero”.

Fã de alguns personagens considerados lanternas do atraso, como os deputados Jair Bolsonaro e Marco Feliciano, Barros faz parte de um grupo chamado Endireita Londrina.

Veja abaixo o que diz o manifesto do Coletivo JUREMAH:

O Coletivo JUREMAH (Jornalistas Unidas na Resistência ao Machismo e a Hegemonia) vem de público, formalizar repúdio à petição “Londrina sem Gênero” proposta pelo advogado e membro do movimento “Endireita, Londrina”, Filipe Barros, e aos vídeos gravados por ele que têm sido exibidos em um canal no youtube e divulgados em uma página no facebook. (leia mais)

13 thoughts on “Pré candidato a vereador arruma enguiço ao propor petição Londrina sem Gênero

  • 08/07/2016, 16:17 em 16:17
    Permalink

    Parabéns ao Filipe, um dos poucos corajosos que foi pra luta contra essa idelogia bizarra! Os progressistas perdidos, que mal sabem dos males que isso traz, tentam calar dizendo que estão sendo calados. Hahaha, que palhaçada. Fora Ideologia de Gênero, ideologia de gente burra, alienada e anti-família!

    Resposta
    • 11/07/2016, 11:09 em 11:09
      Permalink

      Paulo, você é alienado cara, vamos ler uns livros e deixar de ser preconceituoso.

      aposto que voce é cristao, hetero, branco e mora no centro.

      um beijo na boca Paulo, larga a mao de ser preconceituoso.

      Resposta
  • 08/07/2016, 16:37 em 16:37
    Permalink

    Parabéns ao Filipe Barros pela iniciativa!!
    A Educação Sexual, assim como a Moral e a Cristã, é de competência dos pais e da família! Não passará uma Ideologia que intitula seu filho ou filha de “filhe”, sugiro as moças dessa coletivo que estudem sobre o assunto, antes de dizer que tem algo a ver com preconceito e discurso de ódio. Ideologia de gênero é anticiência. Inclusive, pelas idealizadoras dessa teoria, nem homossexualidade existe.
    Para se ensinar o respeito ao ser humano não é preciso “aulas” sobre educação sexual à crianças com 6 anos de idade.

    Resposta
  • 08/07/2016, 17:11 em 17:11
    Permalink

    lamentável! fechem os olhos! não instruam seus filhos! o mundo os ensinará da pior forma possível, com mais bullying, violência, homofobia, feminicídio. Ideologia de gênero JÁ!

    Resposta
  • 08/07/2016, 17:29 em 17:29
    Permalink

    Nem conheço esse tal de Filipe Barros mas já me simpatizo com ele. Sou da seguinte filosofia: faça o que quiser desde que não atinja a mim e nem minha família. Quanto a Jair Bolsonaro esse é meu candidato a presidente!

    Resposta
  • 08/07/2016, 17:39 em 17:39
    Permalink

    #Filipe me representa

    Resposta
  • 08/07/2016, 19:17 em 19:17
    Permalink

    Como eu poderia ser contra um grupo de mulheres (Juremah) que luta “por uma educação, por uma profissão e por uma sociedade sem machismo, opressão e violências”? NUNCA! A sociedade progressista e democrática de Londrina deve apoiar com toda a determinação todos aqueles que não aceitam um país dominado por defensores de “valores” medievais.

    Resposta
  • 08/07/2016, 20:59 em 20:59
    Permalink

    Os cidadãos citados não são apenas uns atrasados ideologicamente. Além de serem personagens ridículos (e nocivos) por defenderem ideologia medieval, já entraram no mundo dos políticos folclóricos. O Bolsonaro recentemente deu um mosh na sua galera de marmanjos e se estatelou no chão. Os soldados do exército do general Bolsonaro o deixou literalmente cair de quatro. Quanto ao pastor (tadinhas de suas ovelhinhas) Marco Feliciano, sempre é lembrado pela sua chapinha e suas sobrancelhas cuidadosamente depiladas, geometricamente regulares. Haja tempo…

    Resposta
  • 08/07/2016, 21:01 em 21:01
    Permalink

    Corrigindo: deixaram-no. Na verdade, nem era um exército tão grande assim. KKKKK

    Resposta
  • 09/07/2016, 10:50 em 10:50
    Permalink

    Esse grupo “Endireita, Londrina” tá querendo demais. Londrina já está dominada pela direita. Aliás, Londrina é um sucesso entre os direitistas. Tem até cronista remunerado pra disseminar intolerância e ódio aos considerados de esquerda que, aliás, são todos os que não comungam com a ideologia e os interesses desse grupo que hoje controla ideológica e economicamente a cidade. Mas Londrina ainda vai sair desse obscurantismo como um dia Londrina foi um dos locais marcados pela rejeição à ditadura militar. Principalmente quando todos perceberem que os interesses do “Endireita, Londrina” se confundem com os interesses do grupo do Temer e Cunha, do Beto Richa, do sectarismo religioso de crentes e católicos fundamentalistas, daqueles que odeiam a democracia mas dela usam para defender sua homofobia e o desrespeito às diferenças sociais. Pela democracia e pela liberdade, fora “Endireita, Londrina”!

    Resposta
  • 09/07/2016, 14:28 em 14:28
    Permalink

    Filipe, você me representa.

    Resposta
  • 09/07/2016, 21:47 em 21:47
    Permalink

    As mulheres do Juremah estão gastando munição à toa com esse tal de Filipi.

    Resposta
  • 11/07/2016, 08:54 em 08:54
    Permalink

    Isso não faz 150 votos é esperar pra ver. KKKKK. Primeiro ele precisa resolver aquele probleminha.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: