Prefeito de Foz chuta o pau da barraca e quer reduzir 90% dos comissionados

De Volta das férias, barbinha cheia de marra, prefeito de Foz, Reni Pereira, anuncia redução drástica de comissionados
De Volta das férias, barbinha cheia de marra, prefeito de Foz, Reni Pereira, anuncia redução drástica de comissionados

Aí sim.

Ventos de mudanças em várias cidades do Paraná. Depois de Santo Antonio da Platina que viu os salários dos vereadores e do prefeito reduzidos; depois de Jacarezinho, onde o presidente da Câmara resolveu pedir viatura policial para sair da Câmara porque a população pressionava que os salários dos vereadores fossem reduzidos, em Foz do Iguaçu o prefeito Reni Pereira resolveu dar exemplo. Na segunda-feira ele anunciou uma reforma política e administrativa, que sendo aprovada pela Câmara de Vereadores, poderá mudar o contexto político de Foz do Iguaçu.

De acordo com o prefeito, a constituição municipal será alterada e a partir desta alteração será criado um limite de cargos comissionados que será inserido na Lei Orgânica Municipal – LOM.

A lei proposta pelo prefeito estabelece a criação de cargos de provimento em comissão de livre nomeação e exoneração na Administração Direta e Indireta, sua denominação e simbologia no limite máximo de 1%(um por cento) do total de servidores ocupantes de cargos efetivos. Uma redução de mais de 90% nos números atuais. A despesa realizada com o pagamento da remuneração de cargos de provimento em comissão não poderá exceder a 1%(um por cento) do total da folha de pagamento dos servidores efetivos do Município.

Reni conversou com o presidente da Câmara, e solicitou que a matéria seja encaminhada para o legislativo em regime de urgência. Ate o final deste ano serão reduzidas de 3 a 4 secretarias, uma já imediatamente e as outras nos próximos meses. No ano de 2016, possivelmente, mais 4 secretarias serão extintas.“Não pensei politicamente, pensei socialmente para dar uma resposta à população. Nós estamos com mais de 170 obras em andamento e parece que isso é irrelevante, a população quer algo mais consistente e permanente para a cidade e acredito que mudando a lei orgânica, nós vamos sim de encontro com os anseios do cidadão. Somos uma gestão que mais priorizou por dar oportunidades aos servidores de carreira, hoje temos 6 secretários e dezenas de diretores que são de carreira” salientou Reni.

Hoje, a prefeitura de Foz do Iguaçu conta com mais de 300 cargos comissionados. Com o projeto de emenda da Lei Orgânica anunciada pelo prefeito, pelo atual número de funcionários resultaria em menos de 60 cargos comissionados. Essa mudança vai alterar o perfil das próximas eleições em Foz do Iguaçu e estimular que os futuros gestores possam aproveitar ao máximo o quadro de servidores do município.

Reni informou ainda que haverá a extinção da secretaria de Gestão de Projetos, que de acordo com o prefeito a maioria dos projetos propostos até o momento já estão em execução, Ouvidoria e a Tecnologia de Informação, sendo que a TI, passará a ser um departamento da Fazenda ou da Administração. Somente nas 3 secretarias serão 10 cargos comissionados a menos.

O prefeito busca o apoio da sociedade. “Estamos mandando essa lei e ela deve vigorar a partir do ano que vem. Depende da aprovação do legislativo e do acompanhamento da população. Temos o apoio da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil , da ACIFI – Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu e contamos com o apoio do cidadão iguaçuense”, informou o prefeito. “Vamos mudar nossa constituição municipal, vamos criar um limite de cargos comissionados. Provavelmente, Foz do Iguaçu será um dos primeiros municípios a fazer a sua reforma política, tentando entender o que a população espera da gestão, seja ela estadual, municipal ou federal”, destacou.

“Eu acredito que essa medida é positiva, além do enxugamento da máquina é a valorização do servidor e vem beneficiar o município como um todo. Precisamos adequar às situações para que possamos ter um resultado positivo lá na frente, nos apoiamos sim, acredito que tudo que venha facilitar e melhorar para a comunidade em geral tem que ser analisado e aprovado”,disse o servidor Aldevir Hanke, presidente do Sismufi – Sindicato dos Servidores Municipais de Foz do Iguaçu.

O projeto de Lei que acresce os dispositivos da Lei Orgânica do município foi enviado para Câmara e aguarda votação.

Deixe uma resposta