Prefeito flagrado com 25 mil em propinas na cueca

Pepita Ortega / SÃO PAULO e Rafael Moraes Moura / BRASÍLIA
Ao longo da investigação sobre o pagamento de propinas envolvendo as obras da adutora Capivara, no sertão paraibano, a PF identificou 16 entregas de dinheiro em benefício prefeito de Uiraúna João Bosco Nonato Fernandes e do deputado Wilson Siqueira (PTB-PB). Os pagamentos ocorreram diferentes locais de Brasília e da Paraíba e, em uma das ocasiões, os agentes flagraram Bosco colocando na cueca R$ 25 mil, que seriam posteriormente entregues a Santiago.

O parlamentar e o chefe do executivo municipal paraibano foram alvo da Operação Pés de Barro na manhã deste sábado, 21. O ministro determinou o afastamento do cargo de ambos e ainda decretou a prisão de João Bosco Fernandes.

O encontro em que o prefeito colocou dinheiro na cueca, ‘alegando que a camisa seria curta’, aconteceu no dia 23 de outubro no hotel ‘Vó Ita’ localizado no município de Souza, segundo a denúncia apresentada pelo procurador-geral da República em exercício José Bonifácio Andrada contra a dupla e mais cinco pessoas.

A PGR indica que entre outubro de 2018 e novembro de 2019, a empresa Coenco Construções, responsável pela obra da adutora Capivara, pagou R$ 1,2 milhão em propinas ao parlamentar e R$ 633 mil em vantagens indevidas ao prefeito.

O documento diz ainda que, em tal encontro, o prefeito cobrou de George Barbosa, executivo da Coenco, R$ 200 mil que ainda estavam faltando das propinas acertadas no âmbito do esquema de desvio de recursos. O empresário, no entanto, explicou que só havia levado até o hotel R$ 25 mil para que João Bosco entregasse a Evani Ramalho, secretária parlamentar de Wilson Siqueira, apontada como suposta gerente das propinas recebidas de George Barbosa.

Depois, o Motorista da Secretaria de Governo e Articulação Política do Município de Uiraúna Severino Neto, também investigado no esquema, teria entregue o dinheiro para o motorista de Wilson Santiago, na noite do mesmo dia.

A denúncia que imputa aos investigados os crimes de corrupção e formação de organização criminosa, além de pedir o ressarcimento de R$ 14.894.713,74 aos cofres públicos, apresenta ainda relatos de outras 15 entregas de dinheiro, a maioria delas relacionadas a Evani Ramalho, suposta operadora das propinas.

Segundo a PGR, os encontros teriam acontecido em diferentes locais, incluindo estacionamentos de hotéis e supermercados, praça de alimentação de aeroporto e até mesmo na sede do Partido Trabalhista Brasileiro em João Pessoa. Confira a lista e as fotos:

  • Em data próxima ao dia 13 de setembro de 2019, no Subsolo do Edificio Holanda´s Prime em João Pessoa, Evani recebeu, no interior de seu veículo, R$ 49.995,00 destinados a João Bosco;
  • Em data próxima ao dia 18 de setembro de 2019, no Subsolo do Edificio Holanda´s Prime em João Pessoa, Evani recebeu, no interior de seu veículo, R$ 50 mil destinados a João Bosco;
  • Em 19 de setembro de 2019, no Gravatá Flat Hotel, em Cajazeiras, João Bosco e George se encontraram no interior de um quarto do hotel e o prefeito recebeu uma sacola laranja com R$ 50 mil;
  • Em data próxima a 23 de setembro de 2019, na Pousada Verde Mar em João Pessoa, João Bosco e George se encontraram no interior no local e o prefeito recebeu R$ 20 mil;
  • Em data próxima a 24 de setembro de 2019, dentro da sede do Partido Trabalhista Brasileiro em João Pessoa, João Bosco, Evani e George teriam se encontrado no local e o prefeito teria recebido R$ 40 mil;
  • Em data próxima a 25 de setembro de 2019, na garagem do subsolo do Edifício Holanda´s Prime em João Pessoa, Evani recebeu R$ 40 mil destinados a João Bosco;
  • Em 27 de setembro de 2019, na garagem do subsolo do Pão de Açúcar, em João Pessoa, Evani recebeu R$ 60.250,00 em espécie destinados a Wilson Santiago;
  • Em 3 de outubro de 2019, na sede do Partido Trabalhista Brasileiro em João Pessoa, Evani e Israel Nunes – secretário parlamentar de Wilson Santiago – receberam de George R$ 25 mil destinados ao deputado. Israel teria sido responsável por levar a propina para o Distrito Federal;

Deixe uma resposta