Prefeitura de Londrina pede celeridade ao TJ para liberar o comércio

A prefeitura de Londrina ingressou ontem no Tribunal de Justiça do Paraná com petição de celeridade na tramitação do processo de funcionamento das atividades produtivas, entre elas, o comércio.

A medida foi tomada depois que o Ministro do STF, Luiz Edson Fachin, em recurso da prefeitura, garantiu ao município o direito de legislar sobre a abertura do comércio e da indústria. No entanto, determinou que a desembargadora Maria Aparecida Blanco, que concedeu a liminar suspendendo as atividades do comércio, refaça sua decisão com base nos dados técnicos apresentados pela prefeitura de Londrina.

Veja abaixo a argumentação da prefeitura enviada ao TJ:

6 thoughts on “Prefeitura de Londrina pede celeridade ao TJ para liberar o comércio

  • 03/05/2020, 10:40 em 10:40
    Permalink

    Quer dizer então que se morrer algum bacanudo daqueles referências e de raiz e a Acil, a Rural e o Sinduscom (com o restante da orgcrim) e a família e a sociedade civil se comoverem e o prefeito mandar fechar de novo daí vai ser aquela velha frase entoada bem alto. “Esquece o que eu falei. Importa é agora”. Não dá para entender.

    Resposta
  • 03/05/2020, 10:50 em 10:50
    Permalink

    Por trás da notícia: prefeitura quer celeridade na expansão do coronavírus em Londrina! Tudo para agradar entidades patronais, bacanas em SUVs que expõem bandeiras do Brasil em seu exterior mas carregam a bandeira dos Estados Unidos em seus porta-luvas e os velhotes em suas motos de alta cilindrada que escondem suas pistolinhas de baixa cilindrada. Prefeito, escute o Ministério Público…

    Resposta
  • 03/05/2020, 11:34 em 11:34
    Permalink

    Nenhuma decisão favorável à reabertura do comércio deveria ser tomada antes de uma testagem significativa pra se saber com mais certeza a quantas anda a contaminação em Londrina. Em Arapongas, após a aplicação de 47 testes rápidos, a confirmação de contaminados passou de 14 para 29. Como em Arapongas a prefeitura, atendendo às entidades patronais, liberou o funcionamento do comércio, as autoridades municipais minimizaram o resultado assustador. No documento enviado pela prefeitura, não vi um dado importante: quantos leitos de UTI estão ocupados atualmente? O documento também não faz distinção entre leitos de UTI do SUS e os da rede privada. Como a demanda é maior por internações pelo SUS é bem provável que haja poucos leitos disponíveis. Aí o SUS vai ter que contratar leitos de UTI da rede privada a um custo incalculável, aliás, a um custo que daria para alimentar milhares de pessoas pobres que deveriam ficar em casa se protegendo em vez de se obrigarem a ir às ruas em busca de alimento.

    Resposta
    • 03/05/2020, 14:52 em 14:52
      Permalink

      Caro Décio, se você considerar o pedido daquele marginal que se diz de direita fez via ofício ao MP sobre as informações que o MP tinha sobre a Covid em Londrina, é muito diferente da prefeitura. Eles pensam que o judiciário é burro. Os argumentos que a prefeitura tanto defendeu para decretar o isolamento, lá na distante segunda quinzena de março é o oposto do que estão falando hoje. Maranhão decretou Lockdown. E foi o judiciário. O TJ. Se aqui houver coerência vai permanecer fechado. E se mandar abrir, logo manda fechar de novo. Deixa o Billie Bacana se achar. Se abrir hoje, amanha mesmo vai fechar….

      Resposta
  • 03/05/2020, 14:16 em 14:16
    Permalink

    Ha, como é bonitinho ver a galera do Quá! Quá! Quá! tentando fingir que tem alguma preocupação com a população de Londrina.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: