Prefeitura de Maringá também oferece auxilio emergencial

foto Pólen Comunicação

Depois de Rolândia, que já está pagando o seu auxílio emergencial municipal para aliviar a situação das famílias mais pobres na cidade devido a pandemia, Maringá também está seguindo o mesmo caminho.

Informa o Angelo Rigon, que o prefeito Ulisses Maia anunciou ontem a criação do Auxílio Emergencial Maringá, benefício que será destinado aa profissionais prejudicados pela pandemia, e a suspensão de tributos. O anúncio foi feito após reunião com vereadores da Frente Parlamentar em Defesa do Emprego e Renda no Contexto da Pandemia. Foi anunciada a criação de três projetos de lei, que serão encaminhados à Câmara de Maringá ainda essa semana:

1º – Auxílio emergencial de R$ 600,00, dividido em três parcelas de R$ 200,00
2º – Suspensão de tributos no primeiro semestre: Todas as taxas municipais, IPTU e ISS com vencimento ou vencidos nos seis primeiros meses de 2021 serão prorrogados para o 2º semestre
3º – Auxílio de R$ 1 mil, dividido em duas parcelas de R$ 500,00 para profissionais que estão há 1 ano sem poder trabalhar em decorrência da pandemia, como os do ramo de evento e cultura.

One thought on “Prefeitura de Maringá também oferece auxilio emergencial

  • 24/03/2021, 15:41 em 15:41
    Permalink

    Socorro financeiro oriundo de governos, é sempre bem-vindo numa crise sanitária. É incontestável, do ponto de vista humanitário.
    Contudo, as políticas públicas sempre acaba se transformando em permanente e virando o maior “cabo eleitoral” em campanha política. E, o povo como não é bobo, vota naquele que promete manter o benefício. De modo que, sua permanência gera dependência, mantendo o povo que necessita em permanente estado de pobreza.
    A solução já foi dada por economistas.
    Taxação das grandes fortunas.
    Valorização do salário mínimo, esse sim precisa de uma política permanente de valorização.
    Revisão da tabela do imposto de renda.
    Reforma agrária consistente.
    Uma política habitacional consistente.
    Uma política educacional consistente.
    Uma política na saúde pública consistente.
    Uma política ambiental consistente.
    Uma política de saneamento básico consistente.
    Essas políticas que deveriam ser permanentes, e estar na agenda política de qualquer partido político que fosse realmente comprometido com as reais necessidades do povo.
    É assim que se combate verdadeiramente a desigualdade social.
    O resto é politicagem. O prefeito, o governador, o Presidente quando cria essas políticas populistas é sempre de olho na reeleição.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: