Professores pressionam deputados na Assembleia

do CabezaNews

Professores da rede pública estadual de ensino, liderados pela APP-Sindicato, acabam de invadir um dos prédios da Assembleia Legislativa do Paraná, parando as atividades da Casa de Leis na tarde desta quarta-feira (18).

Eles cobram a suspensão do Processo Seletivo Simplificado (PSS) para contratação de novos professores em meio a pandemia do Coronavírus e também a suspensão das escolas cívico-militares em colégios noturnos do estado.

Os deputados tentam dialogar com os professores.

3 thoughts on “Professores pressionam deputados na Assembleia

  • 19/11/2020, 10:06 em 10:06
    Permalink

    A gente fica até com receio de opinar. Mas, vamos lá. Acho que um exame de seleção é necessário sim, tenho colhido opinião de pedagogos e muitos são favoráveis. Tem muita gente descomprometida, falta muito ao trabalho. Há muitos problemas nesse aspecto, diretor de escola tem ciência disso. Acho uma pena a APP não apoiar um exame de seleção, qual o receio? Qual são os fundamentos para rejeitar um processo de seleção? A própria APP deveria ser a maior interessada em articular essa seleção, para melhorar a qualidade do profissional e, consequentemente, do próprio processo de ensino-aprendizagem. A sociedade lhe apoiaria, incondicionalmente. As IES do Paraná poderiam colaborar nessa seleção: UEL, UEM, UEPG, Unioeste.

    Eu estive no chão da escola, falo com propriedade.

    Resposta
  • 19/11/2020, 18:40 em 18:40
    Permalink

    Deve ser porque estamos em meio a uma pandemia, né? Espera-se 90.000 inscritos para fazerem uma prova PRESENCIAL onde a SEED aconselha ir de máscara e levar álcool gel… Se for para ter prova, que seja concurso público e não teste seletivo (vínculo frágil) que não oferecerá nenhuma garantia de contratação.

    Resposta
  • 19/11/2020, 20:08 em 20:08
    Permalink

    Eita governinho sem-vergonha! Quem levará alguns milhões para aplicar essa provinha feita de afogadilho para selecionar professores que vão trabalhar precariamente durante um ano? Se, em anos anteriores, os professores PSS eram classificados conforme títulos e tempo de serviço, que ideia de jerico teve a “otoridade” educacional a serviço do “CEO” Ratinho Jr. de marcar um prova presencial num momento em que a pandemia volta com fôlego dobrado ao Paraná? Que governo de incompetentes e insensíveis. O governo ratista-bolsonarista, perseguidor incansável de professores e de sua entidade sindical, se quer selecionar corretamente e legalmente professores, promova um concurso em época adequada, mantendo os cuidados necessários para que se preservem a saúde e a vida dos participantes.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: