Promotora de Rolândia quer a devolução de R$ 155 mil no caso da “MarmitaGate”

A promotora de Justiça Lucimara Salles Ferro, de Rolândia, quer que o ex-prefeito de Rolândia Johnny Lehmann e o ex-secretário de Finanças, Mark Sandro Sorprezo de Almeida, devolvam perto de R$ 155 mil para a prefeitura.

Lucimara Salles ingressou com Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa, distribuída sob nº 9363-12.2015.8.16.0148 o ex-prefeito e o ex-secretário. Eles são acusados desvios de recursos.

Em 2009 e 2011 foram realizados pregões para o fornecimento de marmitas para os servidores municipais que não podiam se ausentar da prefeitura. Curiosamente quem venceu foi a Estação Gourmet Restaurante LTDA, que tinha como sócias proprietárias a Sra. Marilu Sthenia Longhin e Patrícia Sorprezo de Almeida, respectivamente esposa e irmã do então Chefe de Gabinete, e, após, Secretário de Finanças, Sr. Mark Sandro Sorprezo de Almeida, o qual fazia parte do quadro societário até 25/07/2008.

Além disso, vários dos funcionários beneficiados também recebiam auxilio alimentação, ou seja, recebiam duas vezes.

Outra denúncia, essa comprovada pela CPI das Marmitas, que fora instalada pela Câmara, era de que muitos funcionários iam ao restaurante, usava o sistema self service e tiravam notas como se tivessem comido marmitas.

Veja abaixo a ação:

 

2 thoughts on “Promotora de Rolândia quer a devolução de R$ 155 mil no caso da “MarmitaGate”

  • 01/12/2015, 11:04 em 11:04
    Permalink

    O curioso nessa história é que o então vereador Zé de Paula queria até a prisão dos envolvidos, Gaeco e coisa e tal. Enquanto Isso, o também vereador Waldemar Moraes queria barrar as investigações em defesa de seus familiares (filho e nora), proprietários do restaurante que protagonizou o escândalo. Hoje, Zé de Paula é candidato a prefeito, e Waldemar Moraes é seu vice. Lindo, não?

    Resposta
  • 04/12/2015, 15:53 em 15:53
    Permalink

    Enquanto a Promotora de Justiça quer a devolução do dinheiro, eu e meu irmão Fábio Nogaroto (falecido em 2013), que denunciamos o caso e tornamos toda os fatos públicos, somos processados pelos donos do restaurante – pedem indenização de R$ 50.000,00 no processo que movem contra nós…

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: