PSL e a debandada

do Contraponto

Dos três deputados federais paranaenses eleitos pelo PSL nas eleições de 2018, apenas Felipe Francischini ficará no partido. O parlamentar presidente, atualmente, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados.

Já os deputados Filipe Barros e Aline Sleutjes deverão acompanhar o presidente Jair Bolsonaro e se filiar ao partido em formação, a Aliança pelo Brasil. Os dois ficarão no PSL até o momento em que for possível migrar para a nova agremiação sem colocar o mandato em jogo. Filipe Barros e Aline Sleutjes são aliados de primeira hora de Bolsonaro e se indispuseram contra o presidente nacional do partido, o pernambucano Luciano Bivar.

2 comentários em “PSL e a debandada

  • 14/11/2019, 20:41 em 20:41
    Permalink

    Então o deputado Fifilipe Barros vai para o Partido do Ódio?!? Vai ser a cara dele…

    Resposta
  • 15/11/2019, 11:05 em 11:05
    Permalink

    Só político insano para seguir Bolsonaro em seu novo partido. Aliás, por falta de criatividade, o messias copiou o nome de seu partido – Aliança pelo Brasil – do programa criado pelo presidente John Kennedy nos anos 60 para controlar a América Latina – a Aliança para o Progresso. A Aliança para o Progresso durou 8 anos, o Aliança pelo Brasil já nasceu mortinho da silva. Que tipo de aliança é esta que congrega um montinho de gente movida pelo ódio e pela ignorância?

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: