Ramificações em Foz e Londrina

do Angelo Rigon

As ramificações do esquema de corrupção no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento estendem-se a Foz do Iguaçu e Londrina.
Não há notícias envolvendo o Mapa em Maringá na Operação Carne Fraca, a maior realizada este ano no país.

Um dos presos, o ex-superintendente estadual Daniel Gonçalves Filho, teria se formado na UEM. As investigações chegaram às principais empresas do setor, como a BRF Brasil, que controla marcas como Sadia e Perdigão, e também a JBS, dona das marcas Friboi, Seara, Swift, entre outras.
De acordo com o G1, o esquema no Paraná era comandado por Daniel Gonçalves Filho e pela chefe do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa), Maria do Rocio Nascimento, que trabalham em Curitiba.
Na casa do atual superintendente regional do Mapa, Gil Bueno, a polícia apreendeu R$ 65 mil nesta manhã. Os três são alvos de prisão preventiva. Gil Bueno foi indicado para o cargo por deputados da bancada federal do Paraná.

Gil Bueno já fora denunciado por receber vantagens indevidas, como mostramos aqui no blog 

8 thoughts on “Ramificações em Foz e Londrina

  • 17/03/2017, 10:57 em 10:57
    Permalink

    Daniel Gonçalves foi indicado pelo ex deputado André Vargas quando esse era a poderosa mão do PT no PR. Inclusive o responsável pela delegacia aqui em Londrina.
    Aliás, postos sempre muito disputados pelo federais da região.

    Resposta
    • 17/03/2017, 11:43 em 11:43
      Permalink

      Antes de tudo, André Vargas não é mais deputado desde 10/12/2014. Então Daniel Gonçalves Filho continuou no cargo sob a proteção de outra(s) pessoa(s) se é que sua informação é verdadeira. Se o amigão aí procurar informação mais atualizada vai encontrar esta: “Ministro da Justiça é padrinho político de preso na operação Carne Fraca. Osmar Serraglio aparece em interceptação telefônica conversando com Daniel Gonçalves Filho”. Aliás, acredito que André Vargas só está preso porque foi do PT. Se fosse de um certo partido formado por muitos moralistas sem moral, certamente já estaria solto ou nem mesmo teria sido condenado.

      Resposta
    • 19/03/2017, 16:11 em 16:11
      Permalink

      O tal de “Uma hora a casa cai” provavelmente é um antipetista de carteirinha. Normal na democracia. Mas ele traz uma informação que só pode ter duas motivações: má-fé ou má fonte de informação. Então vamos restabelecer a verdade. Daniel Gonçalves foi nomeado em 2007 por indicação do ex-deputado federal Moacir Micheletto (PMDB). Sua indicação teve o apoio do então deputado federal Serraglio e de outros deputados. Mas a indicação NÃO foi do André Vargas. E Daniel Gonçalves foi afastado pela ministra Kátia Abreu, no governo Dilma. Gil Bueno, também suspeito de envolvimento de irregularidades, foi nomeado no lugar de Daniel Gonçalves por Michel Temer. Última informação: a área paranaense do ministério da Agricultura e Pecuária sempre foi controlada pelo PMDB e PP. Não é à toa que a PF acusa que o esquema desmontado levava recursos para esses dois partidos.

      Resposta
  • 17/03/2017, 12:40 em 12:40
    Permalink

    Nossa ex codel, tá bravinho heim.

    Resposta
    • 17/03/2017, 17:24 em 17:24
      Permalink

      A Madame Min e suas adivinhações fajutas. Parece que ela não gostou das referências a um certo partido cheinho de moralistas sem moral. Melhor pegar a vassoura e ir fazer um curso com o neo-Beto Richa, Bruxo Chik Jeitoso. Ká! Ká! Ká!

      Resposta
  • 17/03/2017, 18:53 em 18:53
    Permalink

    Bispo, Andre e ladrão e ponto final, preso e enjaulado e fim de papo.

    Resposta
    • 20/03/2017, 10:30 em 10:30
      Permalink

      Mas trombadinha perto dos tucanos Aécio e José Serra, entre outros tucanos. Esse é o problema da juiz tucana, ou da elite. Como contribuinte de salários milionários pagos aos juízes, não aceito tratamento parcial de qualquer suspeito ou réu.

      Resposta
      • 20/03/2017, 10:31 em 10:31
        Permalink

        Corrigindo: da justiça tucana…

        Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: