Retrato falado

O sociólogo Paulo Delgado pertenceu à bancada de deputados federais do PT na Assembleia Constituinte. Em 2010, afastou-se do partido. É hoje um crítico dos rumos do PT, que culminaram com a prisão de seu principal líder, Lula. Para ele, é absurdo que o partido não reconheça seus erros e fique insistindo na tentativa de hegemonismo e de culto à personalidade de Lula, que não mais se sustenta. “O PT devia parar para refletir e sair um pouco de cena”, avalia ele.

2 comentários em “Retrato falado

  • 23/04/2018, 14:17 em 14:17
    Permalink

    O PT apostou todas as fichas na criação da imagem de um partido infalível e acima de qualquer crítica. Pode ver que quando são acusados de alguma coisa, sequer consideram pertinente dar a manjada declaração de que vai provar que é inocente, etc. e etc.; simplesmente desqualificam e atacam os acusadores e julgadores como um bando de hienas. Não satisfeitos ainda instrumentalizaram as minorias, se apropriando delas. Quando um petista é pego em algum esquema de corrupção e ostracizado, você não está ostracizando um corrupto, você está ostracizando os negros, os pobres, os índios, os homossexuais, você é um fascista nojento.

    Acho que o mais longe que o PT pode chegar em admitir um erro é dizer que fez, mas fez pelo povo. De alguma forma os milhões, bilhões, e quiçá trilhão desviados nos treze anos e bancaram os luxos de empresários e políticos enquanto pessoas morriam em corredores de hospitais foram “pelo bem do povo”.

    Já o Lula está viciado em poder. Como deu a entender em seus discursos enaltecendo o regime do Maduro que levou a Venezuela à miséria absoluta, ele quer voltar a reinar, mesmo que seja para reinar sobre uma pilha de ruínas. Se voltarem ao poder, vão terminar de destruir o Brasil.

    Resposta
  • 23/04/2018, 14:55 em 14:55
    Permalink

    O sociô aí, quando petista, defendia o parlamentarismo. Numa eleição interna, sua proposta perdeu feio para o presidencialismo, escolhido pela maioria dos petistas. Até hoje ele fica resmungando por aí, fazendo seus agrados à Folha, ao Estadão, à Globo e… ao Paçoca. Quá! Quá! Quá!

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: