Richa sabia do esquema de propina, diz delator

do Contraponto

O ex-governador Beto Richa não só sabia como até chegou a participar de reuniões no Palácio Iguaçu para tratar de aditivos que favoreciam as concessionárias do pedágio no Paraná em troca de vantagens pessoais e para campanhas eleitorais. E até mandou exonerar um servidor que não estava cumprindo o trato de repassar para ele as propinas que arrecadava junto às concessionárias.

Este relato consta de um dos cinco termos da delação prestada pelo ex-diretor-geral do DER, Nelson Leal Jr., e que o Ministério Público Federal (MPF) juntou nesta segunda-feira (29) ao processo que tramita na Justiça Federal sobre a Operação Integração I. O anexo é rico em detalhes sobre como chegavam às mãos da cúpula do governo Beto Richa as propinas pagas pelas concessionárias de rodovias do Anel de Integração em troca de aditivos que aumentavam as tarifas de pedágio ou da tentativa do governo estadual para prorrogar os contratos.

Segundo Nelson Leal, eram frequentes as reuniões realizadas no Palácio Iguaçu, na sala do então chefe de Gabinete Deonilson Roldo, com a invariável presença do secretário Ezequias Moreira. Nestas reuniões, o delator recebia instruções para produzir novos aditivos ficando sempre implícito (ou até mesmo explícito) que tais aditivos eram necessários para viabilizar repasses ilícitos para campanha eleitoral e para vantagens pessoais.(leia mais)

Compartilhe
Leia Também
Comente

2 Comments

  1. Sandro Augusto dos Santos

    Quando da criação deste elefante branco AGEPAR, sabia que seria mais um cabide de emprego e corrupção. Não teria condições de fiscalizar o pedágio, pois não seria um órgão independente. O seu staff ainda é formado por funcionário do quadro do DER, portanto, jamais teria condições de fiscalizar com rigor as concessionárias. O seu ex diretor Jurídico, preso e exonerado pela governadora, pasmem os senhores no portal da transferência recebeu líquido como advogado do DER e diretor jurídico da AGEPAR a bagatela de 37 mil reais. Boa parte dos funcionários aposentados do DER, e amigo do rei, se acomodaram naquela agência. Só o Pepe e o Beto não enxergaram que o final iria terminar assim. Como disse o grande filósofo Diógenes “O poder embriaga”. Uma vergonha.

  2. Luis Carlos

    Uai, se até um Ze ruela como eu sabia, que dirá o chefe da ORCRIM.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar
Anúncios
Paçocast
Anúncios