Sarney se despede e diz que se arrependeu de ser Senador. Se ele se arrepende, imagine nós eleitores de tê-lo como Senador

Do O Globo

Após 60 anos de mandatos políticos, o senador José Sarney (PMDB-AP) fez nesta quinta-feira (18) seu discurso de despedida no plenário do Senado. Ele afirmou se arrepender de ter voltado à vida pública depois de ter sido presidente da República, cargo que exerceu de 1985 a 1990 devido à morte do presidente Tancredo Neves.

Depois que deixou a Presidência da República, Sarney foi eleito para cinco mandatos consecutivos de senador, dois pelo Maranhão e três pelo Amapá.  Em junho, o parlamentar anunciou a políticos e amigos que não disputaria as eleições deste ano para, segundo sua assessoria, cuidar da mulher, em tratamento médico.

Eu tenho um arrependimento, até fazendo um mea-culpa. Penso que é preciso proibir que os ex-presidentes ocupem qualquer cargo público, mesmo que seja cargo eletivo. Nos Estados Unidos é assim, e eles passam a ter uma função que serve ao país. Então, eu me arrependo. Acho que foi um erro que eu cometi ter voltado, depois de presidente, à vida pública.”
Senador José Sarney (PMDB-AP)

“Eu tenho um arrependimento, até fazendo um mea-culpa. Penso que é preciso proibir que os ex-presidentes ocupem qualquer cargo público, mesmo que seja cargo eletivo. Nos Estados Unidos é assim, e eles passam a ter uma função que serve ao país. Então, eu me arrependo. Acho que foi um erro que eu cometi ter voltado, depois de presidente, à vida pública”, afirmou durante seu último discurso como senador. (leia mais)

2 comentários em “Sarney se despede e diz que se arrependeu de ser Senador. Se ele se arrepende, imagine nós eleitores de tê-lo como Senador

  • 19/12/2014, 12:00 em 12:00
    Permalink

    http://www.zebeto.com.br/gleisi-se-despede-de-sarney/#.VJQvdsCD4

    Gleisi se despede de Sarney e entrega de bandeja Requião

    Discurso da senadora Gleisi Hoffmann (PT) na despedida de José Sarney da vida política:

    V. Exª é muito querido aqui entre seus pares. Queria fazer uma saudação muito carinhosa a V. Exª, mas sobretudo uma saudação de respeito e de consideração ao político sem o qual não se pode contar a história recente deste País. V. Exª foi muito importante para a conquista e para a consolidação da democracia, um estadista, como já disseram aqui. Num momento difícil, V. Exª, com firmeza, com tranquilidade, com muita paciência, conduziu nosso País, fazendo com que o Brasil pudesse alcançar uma maturidade democrática. Não podia deixar de expressar meu reconhecimento. Já havia falado uma vez a V. Exª que, lendo o livro da Regina Echeverria sobre sua biografia, fiquei emocionada quando ela relata a parte em que V. Exª deixa o Palácio do Planalto, desce pela rampa e encontra o povo, que, ao contrário do que V. Exª pensava, aplaude-o e cumprimenta-o. Então, queremos também dar-lhe os aplausos e cumprimentá-lo. Na semana passada, coincidentemente, eu conversava com meu colega de bancada, senador Roberto Requião, e ele me disse que se preparava para fazer um discurso, quando assumiu o Senado, contraditando V. Exª, criticando-o. E uma semana antes, caiu nas mãos dele um de seus livros, um dos seus romances, Saraminda. Ele disse:

    “Eu comecei a ler o livro do Sarney à noite e passei a madrugada inteira lendo. Fiquei encantado pela beleza da descrição do romance, pela boa escrita. E o discurso que fiz, no dia seguinte, foi elogiando o grande escritor José Sarney”.

    Então, eu queria lhe deixar o meu abraço, o meu respeito, o carinho, Presidente, agradecer a sua convivência e, sobretudo, a paciência que teve para comigo, não só aqui no Senado, mas também na Casa Civil da Presidência da República. Muito obrigada.

    Resposta
  • 19/12/2014, 22:19 em 22:19
    Permalink

    Pra ser bem sincero, acho o Álvaro Dias muito pior do que o Sarney. Pelo menos o Sarney defende a filha com unhas e dentes…

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: