Servidores contestam

CARTA DE ESCLARECIMENTO PARA A POPULAÇÃO LONDRINENSE

A DÍVIDA NÃO É DOS SERVIDORES! OS SERVIDORES JÁ FIZERAM E ESTÃO FAZENDO A SUA PARTE!

Da Comissão Contra a Reforma

Nós servidoras e servidores do Município de Londrina, vimos a público esclarecer alguns pontos quanto ao Projeto nº 157/2020 que foi protocolado na última semana pelo Executivo Municipal na Câmara de Vereadores e que trata da venda de três terrenos pertencentes à Caixa de Assistência, Aposentadoria e Pensões dos Servidores Municipais de Londrina – CAAPSML, assim como a questão da Previdência Social dos Servidores Municipais de Londrina.

  • A proposta da venda dos três terrenos que pertencem à Caixa dos Servidores e também a alteração na legislação da Previdência dos Servidores não foram amplamente discutidas com as Entidades representativas das servidoras e servidores, ou seja, o Sindicato, Associação dos Aposentados da Prefeitura Municipal de Londrina, Conselho Fiscal e com o Conselho Administrativo, que tem prorrogativa legal para dar o parecer e muito menos em assembleia e/ou audiência pública;
  • Além disso, estamos sendo surpreendidos com outra notícia, que também será encaminhado pelo Prefeito à Câmara de Vereadores, sem qualquer tipo de discussão, uma proposta de alteração no Plano de Saúde e um projeto de Previdência Complementar;
  • Foram apresentadas Pelos Conselhos da CAAPSML no início da gestão do Prefeito Marcelo Belinati, várias proposições para a situação financeira da CAAPSML e não houve nenhuma sinalização de aceite das sugestões e também não houve proposta por parte da Administração Municipal. Além disso, não houve cumprimento da legislação municipal que se refere ao pagamento mensal da dívida da Prefeitura com a CAAPSML nos 4 anos da gestão do Prefeito Marcelo Belinati. Ainda, não podemos esquecer que a Prefeitura, como qualquer outro empregador deve arcar com as obrigações patronais e isso não foi cumprido. Dessa forma, não justifica que o Prefeito, após 4 anos, queira nos últimos dias de seu primeiro mandato, exigir a votação de assuntos de extrema importância, atropelando os ritos normais dos processos que tramitam na Câmara de Vereadores;
  • As reformas das Previdências Federal e Estadual, ocorridas não resolveram o problema do Brasil, evidenciando-se na prática, a retirada dos Direitos das Trabalhadoras e dos Trabalhadores. Quanto à Reforma Municipal, para que ela aconteça, deve ser objeto de amplo debate com as organizações representativas da categoria profissional e envolvimento de todos os servidores;
  • O desenvolvimento de Londrina não está sendo afetado com a situação da Previdência dos funcionários municipais. Os servidores cumprem com a legislação e durante a sua trajetória profissional, tem o desconto da Previdência em seu salário, além disso, já tiveram o aumento da alíquota da contribuição previdenciária, de 11% para 14% no ano de 2020;
  • Nós servidoras e servidores temos uma história de compromisso com essa cidade, no atendimento aos cidadãos e cidadãs londrinenses nas mais variadas áreas e segmentos, como a saúde, educação, assistência social, cultura, esporte, atendimento às pessoas idosas, mulheres, crianças, adolescentes, jovens, entre outras;
  • Contribuímos com o nosso município como consumidores e injetamos nossos recursos financeiros na economia local;

Vale salientar que são também os Servidores que contribuem para que essa cidade seja cada vez melhor para se viver.

Portanto, conclamamos o apoio da sociedade londrinense na nossa defesa dos direitos dos servidores municipais, que são os responsáveis pela prestação dos serviços públicos para a população.

A dívida não é dos servidores! Os servidores já fizeram e estão fazendo a sua parte!

5 thoughts on “Servidores contestam

  • 08/12/2020, 15:21 em 15:21
    Permalink

    Parabéns, Marcelo, por mexer neste vespeiro que é o saco-sem-fundo da caixa de aposentadoria dos servidores. E o fez no momento certo, antes ou no começo do mandato (como foi o caso do defasado IPTU de 3 anos atrás). Afinal, remédio amargo a gente toma antes pra ter tempo de sarar. Assim como no caso do IPTU, o Marcelo fez aquilo que os prefeitos covardes de antes não tiveram coragem: mexer na Capsmel. Lembremos que a fonte de quem sempre paga a conta dos servidores e da prefeitura é uma só: o contribuinte – que, em troca, quer serviços públicos bem prestados pelos servidores. A pergunta é: os contribuintes londrinenses estão satisfeitos com os servidores municipais?

    Resposta
  • 08/12/2020, 18:50 em 18:50
    Permalink

    “O desenvolvimento de Londrina não está sendo afetado com a situação da Previdência dos funcionários municipais.”

    Isso, ai deixa a bomba explodir depois. A pessoa que escreveu essa carta deve ter feito aula de previdência com o Boulos.

    Resposta
  • 09/12/2020, 00:42 em 00:42
    Permalink

    Primeiro o governo federal reduziu os direitos dos trabalhadores, mas esse cindicato ficou caladinho. Depois o governo estadual avançou sobre os direitos dos servidores estaduais e esse cindicato continuou caladinho porque não era assunto que o afetava. E solidariedade entre trabalhadores não parece ser o forte desse cindicato. Agora o prefeito ataca os direitos dos servidores municipais e os dirijentes desse cindicato vão procurar apoio de quem? No lugar de cartinha aberta, vão ao gabinete do marcelo Coronavírus ficar de trololó com o prefeito. Taoquei?

    Resposta
  • 09/12/2020, 03:07 em 03:07
    Permalink

    Quero aproveitar para fazer mais um questionamento: por que a ACIL, SINCOVAL e outras organizações estão se envolvendo na questão dos servidores?

    Resposta
  • 10/12/2020, 06:12 em 06:12
    Permalink

    Sindicato sempre esteve no bolso do prefeito, não vai fazer nada e vai falar que não é com ele pra não perder sindicalizados.
    Pela lógica aumentar a alícota de quem aposentou cedo pelas regras antigas seria uma forma de compensar o maior impacto que eles causam pois tornam a previdencia deficitária mas isso ninguem tem coragem de mexer.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: