Sinistro da Saúde, Ricardo Barros, poderá ser investigado por abuso de poder político

do Angelo Rigon

O Ministério Público Federal do Paraná acionou promotores de Justiça de 14 municípios do Estado para sugerir uma investigação da atuação do ministro da Saúde, Ricardo Barros, em campanhas de candidatos nesta eleição.
Os ofícios, assinados pelo procurador Alessandro José Fernandes de Oliveira, foram enviados para as cidades na última terça-feira (11).

Como mostrou a Folha, Barros utilizou a agenda oficial da pasta para participar de comícios e caminhadas com candidatos a prefeito.
Durante os atos, ele chegou a fazer promessas de construção e reforma de hospitais e falou em colocar recursos públicos à disposição das gestões, no caso de vitória dos aliados.
A resolução em vigor da Comissão de Ética Pública da Presidência proíbe aos ministros fazer promessa cujo cumprimento dependa do cargo, prejudicar o exercício de suas funções e recorrer a evento oficial para viajar com propósito eleitoral.
No documento, o procurador aponta que as notícias da atuação de Barros podem “indicar a possível ocorrência de abuso de poder de autoridade em benefício de candidatos nas eleições”.
De acordo com a Procuradoria, cada município vai analisar o que fazer com o caso, podendo pedir até mesmo a cassação de mandatos daqueles que contaram com o apoio do ministro. (leia mais)

Deixe uma resposta