STF proíbe doações de empresas a políticos

do UOL

Depois de um ano e nove meses, o STF (Supremo Tribunal Federal) concluiu nesta quinta-feira (17) o julgamento da proibição das doações de empresas a candidatos e partidos políticos.

Por 8 votos a três, o tribunal considerou as doações inconstitucionais. A ação que contestou as contribuições empresariais no financiamento político foi movida em 2013 pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), com o argumento de que o poder econômico desequilibra a disputa eleitoral.

Segundo o ministro Ricardo Lewandowski, presidente da Corte, a proibição já vale para as eleições de 2016, “salvo alteração legislativa significativa”.

O julgamento começou em dezembro de 2013 e foi interrompido duas vezes. Em 2013, o ministro Teori Zavascki pediu vista e, em abril de 2014, o ministroGilmar Mendes fez o mesmo. O julgamento só foi retomado nesta quarta-feira (16). Ontem, Mendes votou pela permissão das contribuições eleitorais das empresas. Também votou favoravelmente o ministro Teori Zavascki e Celso de Mello, o último a votar nesta quinta. (leia mais)

Um comentário em “STF proíbe doações de empresas a políticos

  • 17/09/2015, 18:28 em 18:28
    Permalink

    Ninguem da nada de graça para ninguem este e a famosa oração de São Francisco que é dando que se recebe….meta estes vagabundos na cadeia, como Moro fez.Depois que se fode somos nós.

    Resposta
  • 18/09/2015, 00:34 em 00:34
    Permalink

    Já que a Ambev não vai mais precisar dar dinheiro pra campanha do Cunha, ela bem que podia abaixar o preço da Antártica.

    Resposta
  • 18/09/2015, 10:28 em 10:28
    Permalink

    Chora, Hauly!!!

    Resposta
  • 18/09/2015, 13:50 em 13:50
    Permalink

    Essa decisão esdruxula nos remete às eleições de 1989, na qual o Fernandinho Beira-Mar, quer dizer Fernandinho Collor de Mello foi eleito. Lá não havia a doação legalizada das empresas. E deu no que deu : Caixa 2 a dar com pau. Sobrou até pro Tesoureiro da Campanha, PC Farias, morto , muitos dizem por causa de desavenças financeiras com o Grupo do Presidente eleito à época.
    O Brasil tem que tomar jeito, ou melhor, os brasileiros devem tomar jeito.
    Porquê não uma campanha com contribuição de quem quiser contribuir? è só o TSE fiscalizar e pronto ! Mas será que há interesse nisso ?
    Enquanto isso…..

    Resposta
  • 18/09/2015, 16:14 em 16:14
    Permalink

    Depois do Mensalão/Petrolão e outras estatais 100% surrupiadas pelo PT, o STF governista sai com essa decisão absurda. Quem tem Caixa Econômica, Banco do Brasil, BNDES e tantas outras estatais nas mão$ para que o PT irá de dinheiro de OUTRAS empresas?

    Resposta
    • 18/09/2015, 21:13 em 21:13
      Permalink

      Se o sr. tem esse tipo de preocupação, fique tranquilo. Os tucanos de São Paulo e Paraná têm, por exemplo, a Sabesp (que já doou uma montanha de dinheiro pro Instituto FHC) e a Sanepar. Os tucanos do PR tem também a Copel. Sem esquecer que o esquemão do Trensalão em São Paulo está a todo o vapor. Esperamos que essa sábia decisão do STF se concretize com a vigilância incansável da justiça eleitoral. Esperamos que, nas próximas eleições, não tenhamos fiscal corrupto pagando divisórias para comitê eleitoral. E, neste caso, não é do PT…

      Resposta
  • 18/09/2015, 21:41 em 21:41
    Permalink

    Não entendi nada ou foi o CAC que endoidou. Para o CAC, a decisão só foi possível porque o STF é governista. Ué! Mas O Globo escreveu: “Fim das doações de empresas é conquista da Lava-Jato”. Então o ministro tucano, Gilmar Mendes, deu um voto contra o juiz Moro? Então o ministro nomeado por FHC defende a corrupção? E a OAB, que propôs a ação, então é petista? Mas o presidente da OAB que propôs a ação aprovada pelo STF era antipetista… Não te entendi CAC. Será que você está ficando CAquético?

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: