Transcrição da reunião ministerial complica Bolsonaro

A transcrição do áudio da reunião ministerial que antecedeu a saída de Sergio Moro do Governo, divulgada nesta quinta-feira, fortaleceu a tese levantada pelo ex-ministro de que o presidente Jair Bolsonaro agiu politicamente para proteger seus filhos e outros familiares de investigações da Polícia Federal.

“Já tentei trocar gente da segurança nossa no Rio de Janeiro oficialmente e não consegui. Isso acabou. Eu não vou esperar f. minha família toda de sacanagem, ou amigo meu, porque eu não posso trocar alguém da segurança da ponta de linha que pertence à estrutura”, afirmou o mandatário, segundo o documento entregue pela própria Advocacia-Geral da União ao Supremo Tribunal Federal. O material contradiz Bolsonaro, que afirmou que não havia falado sobre sua família no encontro nem mencionado a Polícia Federal.

“A PF que não me dá informações, eu tenho a inteligência das Forças Armadas que não tem informações; a ABIN tem os seus problemas, tem algumas informações, só não tem mais porque tá faltando realmente. Temos problemas (…) a gente não pode viver sem informação”,disse o presidente, segundo a transcrição. Nesta sexta, o ministro Celso de Mello, responsável pelo inquérito que investiga as acusações de Moro envolvendo Bolsonaro e a PF, deve decidir se derruba ou não o sigilo do vídeo da reunião.

do El País

Deixe uma resposta