Uma análise sobre o desempenho do técnico do Londrina, Cláudio Tencati

Por Junior Lopes

Cláudio Tencatti:
Campeão da divisão de acesso do PR
Campeão estadual da séria A
Acesso da série D para a série C
Acesso da série C para série B
E ainda tem gente que critica! Na minha opinião, nada mais que justo!
Com exceção do título estadual em 2014, na demais conquistas entendo que o Londrina/SM oferecia ao seu comandante técnico o melhor elenco, melhor estrutura e condições de trabalho que qualquer outro concorrente que enfrentamos, sem contar a estabilidade que permitia maior tranquilidade para desenvolver suas funções.
Título de 2014, grandes méritos de Tencatti. Será?

Beirando a zona de rebaixamento, vencermos um time misto do Coritiba na última rodada de fase classificatória e conseguimos a vaga. Em um jogo histórico viramos contra o sub23 do CAP e conseguimos a vaga na final, só para constar, a virada se fez necessária porque em Curitiba saímos ganhando e sofremos o familiar apagão que resultou em expulsão e 3 gols em 10 minutos.
Na final, saímos vencendo os 2 jogos e permitimos o empate, ficou tudo então para os pênaltis onde, convenhamos, qualquer resultado seria normal.
Em mata mata, que nem sempre o melhor e mais bem treinado time vence, poderemos até ser campeões da Copa do Brasil. Mas série B o buraco é mais embaixo, não dá para ficar contando com vitória na última rodada, com jogo da volta, com inspiração de goleiro em disputa de pênaltis, com explosão da torcida e etc…
Nosso atual time é um bando em campo, não tem poder de reação, não tem qualidade para produzir resultados elásticos, ou ao menos seguros e nem mesmo a tradicional retranca após marcar gol vem dando certo. O Londrina é um exterminador de atacantes, pode vir quem for para o ataque que da forma que o time joga vai minguar. Temos uma única jogada ensaiada: no escanteio 2 jogadores vão na bola, galerinha do mamadeira costuma cair nessa pegadinha, mas do profissional é mais complicado.
A carência de bons resultados nos faz acreditar em salvadores, falsos ídolos ou até mesmo mágicos, mas a realidade que vamos enfrentar é bem mais severa e cruel.
Boa sorte Cláudio Tencatti, seja feliz, se aprimore e talvez um dia volte mas hoje o senhor não tem condições de ser treinador de um clube de série B, que no caso é o meu Tubarão!

Campeão da divisão de acesso do PR
Campeão estadual da séria A
Acesso da série D para a série C
Acesso da série C para série B
E ainda tem gente que critica! Na minha opinião, nada mais que justo!
Com exceção do título estadual em 2014, na demais conquistas entendo que o Londrina/SM oferecia ao seu comandante técnico o melhor elenco, melhor estrutura e condições de trabalho que qualquer outro concorrente que enfrentamos, sem contar a estabilidade que permitia maior tranquilidade para desenvolver suas funções.
Título de 2014, grandes méritos de Tencatti. Será?
Beirando a zona de rebaixamento, vencermos um time misto do Coritiba na última rodada de fase classificatória e conseguimos a vaga. Em um jogo histórico viramos contra o sub23 do CAP e conseguimos a vaga na final, só para constar, a virada se fez necessária porque em Curitiba saímos ganhando e sofremos o familiar apagão que resultou em expulsão e 3 gols em 10 minutos.
Na final, saímos vencendo os 2 jogos e permitimos o empate, ficou tudo então para os pênaltis onde, convenhamos, qualquer resultado seria normal.
Em mata mata, que nem sempre o melhor e mais bem treinado time vence, poderemos até ser campeões da Copa do Brasil. Mas série B o buraco é mais embaixo, não dá para ficar contando com vitória na última rodada, com jogo da volta, com inspiração de goleiro em disputa de pênaltis, com explosão da torcida e etc…
Nosso atual time é um bando em campo, não tem poder de reação, não tem qualidade para produzir resultados elásticos, ou ao menos seguros e nem mesmo a tradicional retranca após marcar gol vem dando certo. O Londrina é um exterminador de atacantes, pode vir quem for para o ataque que da forma que o time joga vai minguar. Temos uma única jogada ensaiada: no escanteio 2 jogadores vão na bola, galerinha do mamadeira costuma cair nessa pegadinha, mas do profissional é mais complicado.
A carência de bons resultados nos faz acreditar em salvadores, falsos ídolos ou até mesmo mágicos, mas a realidade que vamos enfrentar é bem mais severa e cruel.
Boa sorte Cláudio Tencatti, seja feliz, se aprimore e talvez um dia volte mas hoje o senhor não tem condições de ser treinador de um clube de série B, que no caso é o meu Tubarão!

Deixe uma resposta