Uma Bíblia debaixo do braço e uma Enciclopédia de preconceitos na cabeça

E, como se previa, Londrina a cada dia se distancia mais do mundo moderno e civilizado. Com 5 votos favoráveis e 12 contrários, o projeto do prefeito Marcelo Belinati que propunha a criação do Conselho Municipal LGBTQI+ foi rejeitado.

É uma pena. Uma cidade que já foi tão arrojada está abraçando com convicção a lanterna do atraso.

Muita gente com a bíblia debaixo do braço e uma enciclopédia de preconceitos na cabeça.

FAVORÁVEIS
Chavão (Patriota)
Deivid Wisley (Pros)
Lenir de Assis (PT)
Lu Oliveira (PL)
Matheus Thum (PP)

CONTRÁRIOS
Beto Cambará (Podemos)
Eduardo Tominaga (DEM)
Emanoel Gomes (Republicano)
Giovani Mattos (PSC)
Jairo Tamura (PL)
Jessicão (PP)
Madureira (PTB)
Mara Boca Aberta (Pros)
Nantes (PP)
Prof.ª Sonia Gimenez (PSB)
Roberto Fú (PDT)
Santão (PSC)

AUSENTES (em agenda em Brasília)
Daniele Ziober (PP)
Prof.ª Flávia Cabral (PTB)

 

8 thoughts on “Uma Bíblia debaixo do braço e uma Enciclopédia de preconceitos na cabeça

  • 23/09/2021, 20:46 em 20:46
    Permalink

    Ue o Madureira nao é lider do prefeito? Outro ponto, sera q o prefeito tem um funcionario de gabinete q é LGBT? Devia começar por ai

    Resposta
  • 24/09/2021, 07:22 em 07:22
    Permalink

    Essa é a mesma hipocrisia que Cristo tanto criticou em vida. O amor de Cristo é incondicional, várias passagens demonstram isso como “bom samaritano”, mas muitos hoje se dizem cristãos mas semeiam o ódio, embora não sejam maioria da população vez que seus movimentos são pífios. Na idade média a grande maioria dos cristãos tinham convicção de que não obteriam a salvação, hoje boa parte dos cristãos se tornaram os bastiões da verdade, se veem como o próprio Deus, são os juizes de tudo e todos. Só se esquecem que o inferno é grande e suas portas largas. Aos “nobres edis” se esquecem que grande parte daqueles que aprovaram o aumento do iptu na legislatura passada não retornaram à casa, esse medo de se indispor com alguns agora pode ser um tiro no pé.

    Resposta
  • 24/09/2021, 07:27 em 07:27
    Permalink

    Chavão é só alegria. Voto consciente e sem preconceito de clientela. Chavão para prefeito é um passo adiante, um bicudo no balde. Roberto “Recontagem da Repescagem” enfeia a Zona Sul, onde gays pululam e precisam de apoio.

    Resposta
    • 24/09/2021, 09:29 em 09:29
      Permalink

      O Prefeito deveria ter ido pessoalmente defender a criação do Conselho, mas, foi viajar mais uma vez para Brasília.
      A impressão que fica é que, tudo foi combinado nos bastidores, não duvidem, porque o resultado foi muito estranho.
      Será que o Prefeito queria realmente esse Conselho? 🤔

      Acho que a comunidade LGBT foi ludibriada.
      Tiraram das costas do Prefeito esse “fardo”.
      Bastidores é onde as tratativas ocorrem.

      Resposta
    • 24/09/2021, 14:20 em 14:20
      Permalink

      O pululam soou um tanto depreciativo. Coitados, muitos trabalham, estudam, pagam os impostos em dia, são muito mais `´gente´´ do que esses cirandeiros direitistas, e vivem a sofrer preconceitos simplesmente porque gostam de se relacionar com pessoas do mesmo sexo.

      Resposta
  • 24/09/2021, 11:31 em 11:31
    Permalink

    Londrina se transformou na capital do atraso. Quem sabe as novas gerações conseguem levar a cidade ao Século XXI.

    Resposta
  • 24/09/2021, 14:24 em 14:24
    Permalink

    O resto dos vereadores, como era de se esperar, votou conforme o provincianismo tacanho do londrinense. Porém, o que é de se estranhar, é uma professora que vivia pedindo votos na UEL na época de campanha, ter um voto ridículo desses.

    Resposta
  • 26/09/2021, 14:01 em 14:01
    Permalink

    A estes pseudos conhecedores da verdade vem a público criticar uma crença como o titular da coluna, eu pergunto aonde fica o direito de discordar das idéias que querem impor uma ideia contra seus princípios. Usar a bíblia como muleta para um texto é o caso do titular desta coluna e como querer negar a existência da raça humana. Discordar assim mas condenar as idéias dos outros é um retrocesso medieval.
    Na minha casa só entra quem eu gosto. Na sua quem você recebe sem preconceitos.
    Quando estudava você discordava de algo que ia contra seus princípios morais e éticos. Ah só uma pergunta

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: