Uma Saúde que não suporta mais a falácia

Postos de Saúde sem médicos. Demora absurda para o atendimento. Consultas com especialista só com a intervenção divina.

Um ano e meio depois de assumir a prefeitura de Londrina, o médico Marcelo Belinati, que dizia insistentemente na campanha eleitoral que sobrava dinheiro para a Saúde e o que faltava mesmo era gestão, não tem mais como manter o discurso vazio e apenas eleitoreiro.

O fato é que, mesmo tendo por muitos meses o então ministro da Saúde, Ricardo Barros, seu aliado político e mentor, visitando a cidade frequentemente, prometendo verbas e liberações de recursos, não se viu até aqui qualquer avanço no atendimento a Saúde para o londrinense.

A realidade nua e crua é que piorou muito e sem perspectivas o curto prazo de melhora.

Mas não são apenas os políticos garganteadores os culpados.

Sejamos claros. Boa parte dos eleitores brasileiros ainda prefere o discurso fácil, as soluções mágicas, o sorriso largo e o tapinha nas costas. A preguiça em buscar informações sobre os candidatos, conhecer seu passado, analisar o que realmente ele já fez na sua vida pública e sua competência para o cargo que busca é maior do que a vontade em transformar realmente a realidade da cidade, do estado e do País.

E assim segue o bonde com a frase estampada: Me Engana que Eu Gosto.

6 comentários em “Uma Saúde que não suporta mais a falácia

  • 27/06/2018, 12:32 em 12:32
    Permalink

    Mas. …O prefeito não é médico? ….vo falava. …” casa de ferreiro. …espeto é de qualquer coisa “…..lamentável. …

    Resposta
  • 27/06/2018, 18:04 em 18:04
    Permalink

    E o prefeito, que é um Belinati com curso superior, vai aguentar as críticas caladinho. Motivos?
    O prefeito é também responsável pela crise na saúde ao eleger Temer presidente do país, que mudou radicalmente a política para a saúde.
    O prefeito sabe que a nova política favorece a medicina privada em detrimento da medicina pública.
    O prefeito sabe que a crise vai se agravar porque as verbas para o setor ainda serão menores nos próximos anos e haverá ainda menos médicos para atuar no serviço público porque, por cinco anos, não será permitida a criação de novos cursos de medicina.
    Pra complicar ainda mais a situação dos serviços públicos de saúde, o governo está autorizando aumentos nos planos de saúde que tirarão usuários do sistema que, fatalmente, irão procurar tratamento no serviço público.
    Tem muita gente pondo a culpa dos problemas na saúde na conta do prefeito mas apoiam o governo federal e sua política para a saúde, que é completamente diferente daquela apoiada pela população ao eleger Dilma e não Aécio.
    Nós só estamos na entrada do inferno. Vai ficar muito pior. Especialmente para os pobres, e para os trouxinhas que tinham subido para a classe média e agora estão voltando para a classe C.

    Resposta
  • 28/06/2018, 07:12 em 07:12
    Permalink

    O povo votou no Marcelo mas quem governa e o generico,

    Resposta
  • 28/06/2018, 07:58 em 07:58
    Permalink

    Incapacidade completa do atual Secretário. O Marcelo não percebe. Bem enganado por uma corja que o cerca. Acreditei que o Marcelo fosse mais capaz. Saudades da sensibilidade do Tio dele. Aprontava porém a saúde funcionava. Chega logo 2020.

    Resposta
  • 28/06/2018, 09:48 em 09:48
    Permalink

    E o aumento brutal no IPTU vai pra… folha de pagamento!!!

    Resposta
  • 28/06/2018, 11:15 em 11:15
    Permalink

    Fico pensando se o Marcelo não pensa na Mãe e na Família em tomar decisão. O povo sofrendo nos postos e ele calado. Delegou a um incapaz oa saúde. Controlada pelos mesmos desde o Barbosa. O MP vai detonar qdo for investigar. Um passarinho pediu para vet a Central de Medicamentos.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: