Vereador que assume e se diz solidário ao vereador que sai

Esclareço que neste período de aproximadamente dois anos e seis meses em que tramita o processo do pastor Gerson Araujo perante a Justiça Eleitoral, não manifestei-me,  no sentido de buscar a sua condenação, me mantive aparte, mantendo o meu trabalho como diretor da Escola Municipal Prof. Dr. Carlos da Costa Branco , no Jardim Piza.

Temendo que os votos dados para a Legenda fossem anulados entrei como assistente simples no processo, para acompanhar o andamento, buscando garantir que os votos continuassem com o partido.

Em nenhum momento participei, incentivei ou requeri judicialmente a cassação do diploma do Vereador. A ação foi proposta pelo PTC e pelo Ministério Público Eleitoral, e o Vereador teve seu diploma cassado no TRE-PR, e, entrou com Recursos junto ao TSE, que recentemente manteve a decisão do Tribunal Regional.

Ao final de todo o processo, uma vez que os embargos e Recurso Extraordinário não possuem o condão de suspender a decisão, apenas nos manifestamos para requerer a comunicação da decisão ao TRE-PR que daria os encaminhamentos necessários ao cumprimento da decisão.

Sou solidário ao Pastor, por ter se sacrificado ao assumir a Prefeitura, mas em um Estado de Direito às regras devem ser cumpridas, como garantia de manutenção das instituições. As decisões da Justiça devem ser respeitadas e cumpridas da forma mais célere possível, protelar esta situação traria mais insegurança e incertezas ao Município de Londrina.

Agora, devemos pensar no bem da cidade. Quero dar continuidade aos trabalhos, outrora iniciados, quando Londrina vivia em um clima de desconfiança e insegurança. Rompi com as práticas sujas da velha política, denunciando os esquemas de corrupção na Câmara de Vereadores e na Prefeitura de Londrina ao GAECO, o que foi determinante para a cassação do Prefeito e renúncia do Vice.

Enfim, neste novo mandato, vou buscar desenvolver um trabalho digno, honrando os 2.638 votos recebidos, como sempre fiz em minha vida pública.

Amauri Cardoso, vereador

0 thoughts on “Vereador que assume e se diz solidário ao vereador que sai

  • 07/07/2015, 21:23 em 21:23
    Permalink

    Não foi esse vereador que armou uma “casinha” prum amigo de infância ir parar no xilindró? Em vez de convencer o amigo de sair duma gelada, empurrou-a para outra ainda mais gelada?

    Resposta
  • 08/07/2015, 01:52 em 01:52
    Permalink

    Nao estou tirando a idoneidade, carater do Pastor Gerson, mas ele estava irregular exercendo a função de vereador, ele sabia do risco e foi exercer a função de Prefeito, então na minha concepção esta correto ele perder o cargo de vereador , até acho que ficou muito tempo.

    Resposta
  • 08/07/2015, 08:08 em 08:08
    Permalink

    Queria o salário do mês de Julho.
    Queria nomear funcionários do gabinete em julho.
    Queria apenas o cargo.
    Não vai ter sessão mesmo.
    Então fala a verdade Amauri Cardoso, quer acumular o salário de professor mais o de vereador já em Julho.
    E assim é mais bonito, dizer a verdade.
    Só a verdade.

    Resposta
  • 08/07/2015, 13:20 em 13:20
    Permalink

    Desleal e traiçoeira a atitude de pedir apressamento do processo. Se gosta tanto de Londrina caro Amauri, porque o senhor não pediu apressamento das ações do Belinati afim de recuperar o erário desviado? Porque não pediu celeridade as ações do ex-prefeito? Pobreza de espírito.

    Resposta
  • 08/07/2015, 13:37 em 13:37
    Permalink

    Nessa história toda te garanto, não tem Santo na parada…

    Resposta
  • 08/07/2015, 14:57 em 14:57
    Permalink

    Vai ficar excluído na Câmara !! Pode se preparar,

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: