Derrota do Londrina mostra que há muito o que mudar

A derrota do Londrina Esporte Clube para o Coritiba, no Estádio Couto Pereira, por 3 a 0 – gols de Negueba, Leandro Almeida e Allan Vieira (contra) – , que tirou o time das finais do campeonato, apenas reforçou o problema que o Tubarão vem enfrentando desde o início do Paranaense.

O Londrina tem um sistema defensivo forte, porém, o meio campo nada cria e o ataque tem sido pouquissimo eficiente.

Hoje, por exemplo, no primeiro tempo, o Londrina só levou perigo ao gol do Coritiba uma única vez, num chute de fora da área de Rone Dias. Só.

De que adianta o time entrar em campo com três atacantes se eles não recebem bolas para finalizar?

O Londrina, nas últimas partidas, passou o jogo esperando o erro do adversário. Hoje o Coxa não errou.

Não é uma estratégia de time campeão. Do jeito que o time vinha jogado, conseguiu ir até longe demais.

Agora é pensar na Série C e torcer para o eterno técnico Cláudio Tencati possa encontrar um sistema de jogo menos medroso e com mais alternativas.

Itaipu X Petrobras

Do jornal ABC

“Se a Controladoria Geral da República e seu par brasileiro (TCU) investigassem a Itaipu Binacional, o escândalo da Petrobras será nada mais do que uma simples anedota” – do general de reserva Juan Antonio Pozzo Moreno (Paraguai) no jornal ABC Color.

… Muçum…

Do Carlos Brickman

Dizem que muita gente da oposição estaria na lista de depositantes ilegais do HSBC suíço – os SwissLeaks. Deve haver. E fica difícil, por isso, entender por que Dilma está tão sossegada no caso. O senador Ricardo Ferraço, do PMDB capixaba, na oposição desde que acolheu no Brasil o senador boliviano Roger Pinto, dando-lhe ajuda para escapar da Bolívia, procurou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, do PT, para saber por que o Governo brasileiro demora tanto para pedir à França e à Suíça a lista dos depositantes.

Cardozo ficou rouco de tanto ouvir. Seria interessantíssimo ver a lista completa dos depositantes brasileiros clandestinos. Estarão ligados a Petrolão, doações ilegais, essas coisas?

O candidato e seu passado

Do Carlos Brickman

Depois de uma série de divergências com o Brasil sobre a administração da Usina Hidrelétrica de Itaipu, pertencente aos dois países, o Paraguai decidiu mover uma ação judicial para garantir aqueles que, a seu ver, eram direitos que vinham sendo ignorados.
Quem foi o advogado da parte paraguaia no processo contra brasileiros? Ele mesmo: Luiz Édson Fachin, agora indicado pela presidente Dilma para o lugar do ministro Joaquim Barboza no Supremo Tribunal Federal.
Fachin ganhou a ação contra o Governo brasileiro. Viva o Paraguai!

A indiarada está feliz. Os puxas de Richa estão voltando ao paraíso

Nas últimas semanas, quem costuma passear pelo Diario Oficial do governo do Paraná já notou a avalanche de cargos comissionados que está  sendo nomeada. E isto tem ocorrido também  nas empresas em que o governo é sócio, como a Copel e a Sanepar. Tem cada nome que é de dar indigestão  até  em que  tem estômago  de avestruz.
Isso porque o discurso oficial é de economia, contenção de gastos, etc.

PSDB de Londrina reúne-se e decide que há muito o que decidir

Os tucanos de Londrina reuniram-se hoje de manhã  no hotel Crystal para começar  a traçar  estratégias  para a próxima  eleição.
Está todo mundo de olho nas mudanças  nas regras eleitorais. Dentro de alguns dias a Câmara Federal deverá votar o fim das coligações na eleição  proporcional. O Senado já  aprovou. Se passar também pela  Câmara,  haverá  uma mudança  importante, pois a tendência  é  que os partidos mais fortes e organizados cresçam  mais ainda. Pelos cálculos do tucanato local, com a mudança  na regra, seria possivel eleger até 4 vereadores, hoje o partido tem dois vereadores.
Mas há  outras preocupações.  É preciso decidir quem será  o novo presidente da sigla atacada pelo marasmo.
Ficará  o atual presidente, o vereador Gerson Araújo,  ou será escolhido outro no nome?
O partido vai lançar candidato próprio  ou seguirá  a reboque de outra sigla?
Este talvez seja o problema mais grave.  Nas últimas  décadas  o PSDB não formou novas lideranças. E isto tem se refletido no desempenho do partido.
Na eleição passada para prefeito, aliou-se aos  eternos adversários, o grupo comandado pela familia Belinati. Nenhum dos lados ganhou com  isso.
Há muito o que decidir no ninho tucano.

Joaquim Barbosa diz que governo mente quando fala que combate corrupção

Do Congresso em Foco

Aposentado desde agosto do ano passado, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa criticou duramente o PT e o governo Dilma durante palestra sobre ética e administração em Santa Catarina ontem (16) à noite. Joaquim afirmou que o governo mente ao dizer que nunca, como na atual gestão, combateu-se tanto a corrupção. “Quem está combatendo é o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e a Justiça. Eles não têm nada a ver com isso. Nunca se combateu tanto a corrupção, mentira”, afirmou o ex-ministro, segundo relato de O Globo.

Ele criticou mudanças feitas pelo governo na regulamentação da chamada Lei Anticorrupção, que endureceu as punições a empresas condenadas por corrupção. Joaquim disse que não poderia quantificar se os desvios aumentaram ou diminuíram desde a chegada do PT ao Planalto, em 2003. Mas chamou de “cínica” a forma com que o partido do ex-presidente Lula e da presidenta Dilma, na visão dele, trata o assunto. “Eles alegam ‘nós não inventamos a corrupção, sempre houve corrupção na vida brasileira’ ou seja, é como se tivesse chegado a vez dele”, disse à platéia em Florianópolis. (leia mais)

Cunhada de tesoureiro do PT, que estava foragida, se entrega à PF

Do UOL

Investigada na Operação Lava Jato, Marice Corrêa de Lima, cunhada do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, se entregou na tarde desta sexta (17) à Polícia Federal, em Curitiba.

Marice chegou em um táxi, acompanhada de um advogado, por volta das 14h. Ela permaneceu em silêncio e não respondeu às perguntas da imprensa.

A cunhada do ex-tesoureiro é suspeita de ser uma emissária de Vaccari e de ter participação nos desvios da Petrobras. A movimentação financeira dela foi considerada incompatível com sua renda, de acordo com o Ministério Público Federal. Para o órgão, Marice pode ser uma operadora do esquema.

O advogado Claudio Pimentel, que defende a investigada, nega as acusações. “Operadora de quê? Ela nem tem dinheiro para isso”, afirmou ele à Folha. “Os valores [de seu patrimônio] não são significativos, não existe isso.”

A prisão temporária de Marice, válida por cinco dias, foi decretada na quarta (15) para evitar que ela destrua ou falsifique provas. No mesmo dia, o ex-tesoureiro foi preso. Marice era considerada foragida. Leia mais

11 Executivos são denunciados por cartel de trens em SP

Do UOL

São Paulo – O Ministério Público Estadual ofereceu denúncia (acusação formal) à Justiça contra 11 executivos de empresas do setor ferroviário e um funcionário da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), por formação de cartel em contratos firmados para o fornecimento de trens e materiais ferroviários na execução de três projetos da estatal firmados em 2007 e 2008.

Reynaldo Rangel Dinamarco, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). segundo a denúncia, teve participação, utilizando-se à época, de sua condição de presidente da Comissão de Licitações da CPTM.

Segundo a denúncia, oferecida pelo promotor de Justiça Marcelo Batlouni Mendroni, do Grupo Especial de Delitos Econômicos (GEDEC), as empresas, por meio de seus executivos e funcionários, dividiram entre si três contratos administrativos “combinando as propostas que apresentariam nas concorrências públicas”.

“As empresas dividiram o mercado e o preço final superfaturado, direcionando cada licitação e sabendo previamente qual empresa seria a vencedora de cada um dos contratos e quais os preços de cada uma, o que fazia com que as outras empresas que participavam do cartel ofertassem suas propostas a preços superiores ou simplesmente não participassem da concorrência na referida licitação, deixando de oferecer proposta”, afirma a denúncia.

A acusação é resultado de investigação criminal realizada pelo GEDEC, a partir de provas documentais encaminhadas pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), e da análise detalhada das correspondentes licitações, que demonstram práticas anticoncorrenciais nos procedimentos instaurados pela CPTM, segundo o promotor Mendroni. (leia mais)

Crise entre PF e PGR trava investigação de políticos na Lava Jato

do Congresso em Foco

Divergências entre procuradores da República e policiais federais envolvidos na Operação Lava Jato está impedindo o avanço no núcleo das investigações referente ao envolvimento de políticos suspeitos de participação no esquema de corrpução descoberto na Petrobras. Trata-se de uma disputa por protagonismo entre os investigadores cujo resultado foi a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido do Ministério Público Federal, que suspende diligências em inquéritos que reúnem, entre outros, os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Em resumo, essa situação levará ao atraso na investigação de políticos denunciados ao STF pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em 6 de março.

Desde então, discordâncias entre investigadores têm se intensificado, culminando com o impasse nesta semana. Como informa o jornal O Estado de S. Paulo, procuradores telefonaram para parlamentares sob suspeita para lhes informar que não seriam, necessariamente, exigidos depoimentos na sede da Polícia Federal em Brasília, e que tais oitivas poderiam ser realizadas em locais como a sede da Procuradoria-Geral da República.

O contato feito diretamente com os políticos incomodou membros da PF e levou a uma troca de telefonemas entre o diretor-geral do departamento, Leandro Daiello, e Janot – este se antecipou e relatou a Daiello que alguns investigados pediram para serem ouvidos na PGR, e não na PF, evitando-se, dessa forma, a presença de policiais federais. Daiello disse então que qualquer decisão sobre procedimentos deveria ser comunicada e autorizada pelo STF. (leia mais)

Projeto contra homofobia causa polêmica na Câmara

O projeto contra a homofobia causou reação na bancada evangélica e católica na Câmara de Vereadores. A vereadora Elza Correia quis criar o Dia Contra a Homofobia, dia 17 de maio. Para que o projeto de lei passasse em primeira discussão, foi necessário retirar alguns pontos da justificativa. Depois disso, o vereador Emanoel Gomes manteve o voto contrário.

Receita faz varredura em empresas

Empresas investigadas pelo Gaeco, por deixarem de recolher ICMS e também por pagamento de propina, também estão sendo alvo de investigação da Receita Estadual do Paraná.  No total são 24 empresas investigadas, a intenção é descobrir quanto cada empresa deixou de recolher o imposto estadual, nos cinco últimos anos.  Assim cobrar esses impostos e se necessário, aplicar multas. O número de empresas pode chegar a 40.

Caso de exploração sexual: suposta aliciadora não quer colaborar

Uma das supostas aliciadoras de menores no caso de exploração sexual, Sandra Soares, descoberta pelo Gaeco, disse que não pretende colaborar com as investigações. O advogado dela disse que ela não irá assinar um termo de cooperação, pois é inocente e não teria tido participações.

Em greve, Creche fecha na zona sul

Os professores da creche do Conjunto Cafezal 2, em Londrina estão em greve por não receber os pagamentos pelos meses de março e abril. A creche atende 84 crianças em período integral. O Sindicato dos Professores das Escolas Particulares orientaram a realização da greve. A creche não teve convênio renovado com o município, pois documentos não foram enviados pelos representantes do local, a prestação de contas estaria irregular. Os professores estariam recebendo os últimos salários, devido a uma taxa de contribuição dada pelos pais de R$ 200.

A Secretaria de Educação disse que existem irregularidades na prestação de contas. As contas de 2014 estão sendo auditadas pela Controladoria do Município e já foi constatada uma dívida de R$ 10.322 junto à Prefeitura, que já denunciou ao Ministério Público. A creche por enquanto não tem relação com a Secretaria de Educação, pois a autorização está vencida desde 2014.