Richa e a guerra dentro da própria casa

brigaAlém da queda de braço com os servidores públicos estaduais, o governador Beto Richa também está enfrentando torpedos amigos dentro do seio familiar.

Avelino Antonio Vieira Neto, irmão da primeira dama, Fernanda Richa, disparou a mensagem acima, criticando o primo de Beto Richa, Luiz Abi.

Ele fala com todas as letras o que pensam muitos que circulam pelo Palácio Iguaçu: “Nosso governador Luiz Abi, não é de direito, mas é de Fato. Manda muito mais…”

Luiz Abi não tem cargo no governo, não é secretário, não é assessor, mas quem conhece o governador sabe que Abi tem influência importante em vários setores do governo e isso, pelo jeito, está incomodando muita gente.

 

Lago Igapó terá qualidade da água analisada

O projeto “Águas do Amanhã” conta com o ecoesportista Dan Robson de São Paulo. O objetivo do projeto é verificar a qualidade da água de lagos e rios. O trabalho foi contratado pela Companhia Nacional de Saneamento (Conasa). O Igapó está numa qualidade regular, as águas do Lago Norte estão inferiores. O relatório final fica pronto na semana que vem e será entregue a ONG SOS Mata Atlântica.

Punição contra o Londrina é mantida. 4 jogos

Aquele barraco protagonizado por membros da comissão técnica e jogadores do Londrina durante o jogo contra o Pelotas, no Estádio do Café, pela semifinal da série D, vai mesmo custar caro ao Tubarão.

Terminou agora há pouco o julgamento do recurso do Londrina no Tribunal de Justiça Desportiva. Conforme o jornalista Walmir Martins, da rádio Paiquerê AM, a pena de quatro mandos de campo contra o Londrina está mantida!

Dois jogos serão realizados fora da cidade e outros dois com os portões do Estádio do Café fechados. A pena será cumprida durante a Série C.

Fernando Henrique Cardoso tira onda com Dilma Rousseff

“Foi FHC”

FHC

Depois de Dilma Rousseff se basear na delação premiada de Pedro Barusco para atribuir o início da corrupção na Petrobras ao governo de FHC, as redes sociais não perdoaram a presidente.

As piadas diziam que a culpa pela extinção dos dinossauros caberia a FHC, assim como os atentados ao World Trade Center, a morte de Ayrton Senna, a derrota na Copa de 1950, a Gripe Espanhola, entre outros.

Além de responder Dilma dizendo que a atitude dela era a de quem “bate a carteira e grita ‘pega ladrão”, FHC resolveu entrar na brincadeira. Com uma cédula de dois reais à mão, o ex-presidente foi fotografado pelo senador Cássio Cunha Lima fazendo referência ao Plano Real e ironizando: “Foi FHC”.

Por Lauro Jardim

Novo comandante do 5°BPM em Londrina

Tenente coronel Hudson Teixeira, deixa o 5°Batalhão da Polícia Militar (5°BPM), para voltar às atividades no Bope de Curitiba e quem assume o posto agora é o major José Luiz de Oliveira.

Mesmo sacaneado, Foz vence o Furacão em Curitiba

Tem coisas que nenhum dinheiro paga.

Uma delas ocorreu ontem em Curitiba. O Foz do Iguaçu venceu o time principal do Atlético Paranaense por 1 a 0 para desespero do presidente do rubronegro Mário Celso Petraglia.

Imagine como deveria estar a cara do cidadão ontem.

Só para lembrar os últimos episódios que envolveram esse pouco simpático cidadão.

Petráglia apóia o candidato Ricardo Gomyde, que concorre à presidência da Federação de Futebol do Paraná. Para angariar votos tentou chantagear o presidente do Foz do Iguaçu, Arif Osman. Ao ver negado o pedido de voto para Gomyde, ordenou que os cinco jogadores que o Atlético havia emprestado para o Foz retornassem a Curitiba. Depois, colocou o time principal para enfrentar o Foz ontem. É bom não esquecer que o time que vinha disputando o Paranaense era o sub 23 do Atlético. Tudo para ferrar com o Foz.

Pois não é que os deuses do futebol não só fizeram o Foz vencer o Atlético em Curitiba como também o gol vitorioso foi do zagueiro Wesley, ex-Coritiba.

Veja o que escreveu o blogueiro Hélio Lucas, de Foz, sobre todo o imbróglio envolvendo Petráglia e o time da fronteira. AQUI

PSDB passa longe da lista para instalar CPI do HSBC

Ué! Os tucanos  não quiseram assinar a CPI do HSBC por quê?

Eu não vi o nome do senador Álvaro Dias na lista. Você Viu?

O requerimento para criação da CPI do HSBC no Senado, articulado pelo senador Randolfe Rodrigues (Psol-AP) e protocolado ontem na Secretaria Geral da Mesa (SGM), reúne  31 assinaturas de adesão e a proeza de unir governistas, em sua maioria, e alguns membros da oposição (veja a lista abaixo). Além de dois nomes do DEM, um dos principais partidos oposicionistas no Congresso – Davi Alcolumbre (AP) e Wilder Morais (GO) –, também assinou o documento quase toda a bancada do PSB, sigla que desembarcou da base aliada e passou a engrossar as fileiras da oposição desde que Eduardo Campos, presidenciável do partido morto em agosto, decidiu disputar a Presidência da República. Apenas Fernando Bezerra (PSB-PE) ainda não assinou, mas pode fazê-lo a qualquer momento. (leia mais)

Veja a íntegra da lista, por ordem alfabética:

Antonio Carlos Valadares (PSB-SE)

Cristovam Buarque (PDT-DF)

Davi Alcolumbre (DEM-AP)

Gladson Cameli (PP-AC)

Gleisi Hoffmann (PT-PR)

Hélio José (PSD-DF)

Humberto Costa (PT-PE)

Jorge Vianna (PT-AC)

João Capiberibe (PSB-AP)

José Medeiros (PPS-MT)

José Pimentel (PT-CE)

Lídice da Mata (PSB-BA)

Lindbergh Farias (PT-RJ)

Magno Malta (PR-ES)

Marcelo Crivella (PRB-RJ)

Omar Aziz (PSD-AM)

Otto Alencar (PSD-BA)

Paulo Rocha (PT-PA)

Randolfe Rodrigues (Psol-AP)

Regina Souza (PT-PI)

Reguffe (PDT-DF)

Roberto Requião (PMDB-PR)

Roberto Rocha (PSB-MA)

Romário (PSB-RJ)

Rose de Freitas (PMDB-ES)

Sérgio Petecão (PSD-AC)

Telmário Mota (PDT-RR)

Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)

Waldemir Moka (PMDB-MS)

Walter Pinheiro (PT-BA)

Wilder Morais (DEM-GO)

Prefeitura perde ação na Justiça e tarifa do transporte coletivo pode subir para R$ 3,17

Do Jornal de Londrina

A Prefeitura de Londrina foi condenada pela 1ª Vara da Fazenda Pública a incluir novamente a cláusula de lucratividade, de 7,5%, no cálculo do preço da tarifa do transporte coletivo. Com essa medida, o valor do passe que hoje é de R$ 2,95 passaria para R$ 3,17. A sentença foi entregue nesta sexta-feira (27) e se refere a uma ação movida pelas empresas do transporte coletivo contra a Prefeitura em 2008.

O procurador-geral do Município, Paulo Valle, disse que o Município irá recorrer da decisão. (leia mais)

Continua greve nas rodovias e na rede estadual

Mesmo com liminar que obriga os caminhoneiros a não impedir o tráfego nas rodovias, alguns bloqueios continuam principalmente, no Paraná, em 59 pontos. Quem tiver as placas anotadas pode ter que pagar até R$ 50 mil / por hora. Os caminhoneiros protestam contra o alto preço do pedágio e diesel,  tabela de fretes e mudanças na legislação em relação a jornada de trabalho.

Servidores 

De hoje até quarta-feira, várias assembleias serão realizadas, pelo sindicato de professores e funcionários de universidades do Paraná. As assembleias irão discutir as propostas apresentadas por Beto Richa. A mais polêmica é a que fala do Paraná Previdência.

Atenção! Atenção!!!!

Se os servidores quiseram também enviar artigos contestando ou apresentando suas versões sobre a mobilização no Paraná, o blog está aberto para a publicação.

Nosso respeito à educação

Beto Richa

Antes mesmo de iniciarmos a primeira gestão, destacamos em nosso Plano de Governo que a Educação seria prioridade absoluta. E continua sendo.

Houve, infelizmente, o episódio da greve de servidores, que reconheço como legítima. No entanto, é importante registrar também o oportunismo político-partidário de adversários que ainda não absorveram a derrota nas últimas eleições, e que tentaram pegar carona na paralisação, espalhando falsas versões sobre o conteúdo das propostas enviadas à Assembleia Legislativa.

Depois de rodadas exaustivas de negociações, com toda a pauta de reivindicações atendida, não vejo motivos para a continuidade da greve, não há mais sentido para a manutenção deste movimento. Faço um apelo aos professores, que sempre mereceram todo o meu respeito e não é só da boca pra fora. Na prática, demonstrei o respeito na valorização dos professores, na busca de um ensino de qualidade para os estudantes de toda a rede estadual. Depois dos resultados do diálogo entre o governo e os representantes dos servidores, os estudantes e as famílias paranaenses não podem ser prejudicados.

Este é o desejo de pais e mães de estudantes. Repito: sempre tive a educação como prioridade absoluta do meu governo. Assim fiz na Prefeitura de Curitiba e agora na administração estadual.

Por uma questão de justiça, é preciso recordar ainda que foi o senador Roberto Requião que, quando governador, gravou vídeo dizendo que iria entrar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra o piso nacional de salário dos professores. Hoje, pagamos acima do piso. Ele também entrou com uma Adin contra a hora-atividade, que é uma grande reivindicação dos professores. Ampliamos a hora-atividade em 75%. Professor do padrão de 20 horas ficava quatro horas fora da sala corrigindo provas, preparando aulas, e hoje fica sete horas fora da sala. Quem tem padrão de 40 horas fica 14 horas.

Meu antecessor vetou a lei da Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu (Vizivali), angustiando 30 mil professores e pedagogos que já aguardavam havia 10 anos o reconhecimento do curso de licenciatura em Pedagogia. Em seis meses, reconhecemos o curso.

Ele repassou R$ 118 milhões em quatro anos aos prefeitos para cobrir gastos com transporte escolar; nós repassamos R$ 318 milhões na primeira gestão, quatro vezes mais. Melhoramos a qualidade dos alimentos da merenda escolar, na qual foram investidos R$ 90 milhões de 2007 a 2010 e nós, de 2011 a 2104, investimos R$ 403 milhões; criamos as brigadas escolares, garantindo segurança aos alunos e profissionais que trabalham nas escolas. Para exemplificar, não havia nem extintor de incêndio nas escolas; compramos 7,5 mil extintores.

Trouxemos as Escolas Especiais (vinculadas às Apaes) para dentro da rede estadual de educação, com o programa “Todos Iguais pela Educação”, no qual foram investidos R$ 736 milhões em dois anos. Valorizamos os salários dos professores, com 60% de aumento, o maior da história do Paraná. Além disso, 37% dos professores e funcionários da rede estadual de educação foram contratados de 2011 a 2014. O fundo rotativo para a educação passou de R$ 209 milhões de 2008 a 2010 para R$ 340 milhões de 2011 a 1014, com 61% de aumento.

Para resumir a história: fechamos o ano de 2014 investindo 37,6% das nossas receitas em educação básica e superior, quando a Constituição Estadual nos impõe um índice mínimo de 30%. Esse investimento adicional representou mais R$ 1,8 bilhão aplicados na educação no ano passado.

Tivemos avanços importantíssimos que foram conquistados pelos professores e reconhecidos pelo nosso governo. Depois, quando tivemos um atraso de dois meses do terço de férias, causado inclusive por dificuldades financeiras criadas até pelo aumento de despesas com o próprio funcionalismo, o sindicato da categoria marcou uma greve.

Friso que não foi má vontade ou falta de vontade para pagarmos o terço. É que não tínhamos mesmo condições naquele momento de pagar o terço de férias e a rescisão dos professores temporários. Porém, já pagamos cerca de R$ 70 milhões dos temporários vamos pagar em março, em parcela única, o terço de férias aos professores, que foi o motivo de convocação da greve.

Continuo com crença inabalável de que a educação merece o respeito de todos. O nosso respeito é traduzido por investimentos, valorização dos profissionais e dos estudantes, melhorias em infraestrutura. E, saibam todos, assim será.

 

Beto Richa é governador do Paraná

Reflexos da Ditadura!

A dependência do transporte rodoviário, no transporte de cargas no país, é reflexo direto de decisões tomadas na Ditadura Militar. É, um país não se constrói por acaso, mas com planejamento a longo prazo.

E nosso planejamento sempre foi à reboque dos interesses privados e não da Nação.
No primeiro governo da Ditadura, de Humberto de Alencar Castelo Branco (15 de abril de 1964 a 15 de março de 1967) foram elaborados estudos para escolher o modal de transportes mais viável para o país.

Em discussão o transporte rodoviário, ferroviário e hidroviário. Em um país continental como o nosso, o ideal seria uma fusão dos três modais, com preferência para os transportes mais baratos, como ferrovia e hidrovia.
Mas não foi bem assim.

Com o lobby e promessas de instalação de montadoras no país, a indústria automobilística saiu vencedora. E o modal rodoviário foi contemplado. O preço dessa decisão, lucrativa decisão para a elite dirigente da ditadura (Roberto Campos à frente), é o que pagamos hoje. Transporte caro, ineficiente e que interfere diretamente na logística para o desenvolvimento econômico e social.

Por José Maschio, jornalista

Richa assume que não tinha caixa pra realizar as obras

Em entrevista à Folha de São Paulo, o governador Beto Richa (PSDB) soltou algumas pérolas dignas de registro.

Ele deixa claro que não havia dinheiro em caixa para fazer o que fez. “O que interessa para a população são as obras. As dívidas, nós vamos administrando”, disse Richa. As greves no Paraná confirmam que não ele não está administrando tão bem as dívidas do Estado.

Outras perguntas feita pelas Folha de S.Paulo:

Foi imprudência ter gasto mais do que havia em caixa?

Não, não foi. Foi coragem. Pergunte lá em Londrina: a maior reivindicação era a duplicação da PR-445. Uma obra de R$ 100 milhões. Os técnicos me disseram: “Essa obra é cara, vai ser difícil…” Aí eu peitei. Vamos fazer.

Uma parte já foi inaugurada. O segundo trecho foi paralisado por dificuldades financeiras. Mas a obra é uma realidade, e vai ser tocada.

Se eu não tivesse tido coragem lá atrás, ela não teria acontecido. Se você ficar esperando ter dinheiro em caixa, não vai sair do lugar. A economia se deteriorou, tivemos problemas, mas a obra vai acontecer. É isso que importa para o cidadão.

Aécio Neves acusou a presidente de estelionato eleitoral. O sr. foi reeleito dizendo que as finanças estavam saneadas. É estelionato eleitoral?

De forma alguma. Nós fizemos o que prometemos, sim.

Eu disse que nós vínhamos equacionando as dívidas do Estado. Vínhamos. Eu estava saneando as contas e fazendo, investindo. Há contratações, obras. Nada disso existia. O Estado está avançando, e a dívida é administrável.

No caso da presidente, é diferente. Ela disse que não ia mexer em conquistas de servidores. E mexeu. Ela disse: “Nem que a vaca tussa”.

Mas o sr. é acusado exatamente da mesma coisa.

Mas ninguém me perguntou se eu ia mexer na previdência. Não falei que não ia mexer. Ao contrário. Chegou um momento que, com a queda de receitas e a economia se deteriorando, não dá mais para sustentar dessa forma.

Leia a entrevista completa aqui.

Pedido de CEI é retirada da Câmara da Câmara de Londrina

Comissão Especial de Inquérito (CEI), que seria aberta para investigar irregularidades na prestação de serviços pela empresa de alimentação ‘Missaka Alimentação’, que fornece refeições na Maternidade Municipal, foi retirada da Câmara de Vereadores. A discussão vai ficar para a próxima sessão, quando os vereadores tiverem em mãos, uma cópia da auditoria, feita pela Controladoria Geral do Município. O requerimento que abria a CEI seria assinada pelos vereadores: Jamil Janene, Emanoel Gomes, Joaquim Donizete do Carmo, Gaúcho Tamarrado, Lenir de Assis, Marcos Belinati, Mário Takahashi e Roberto Fú.

Fundo sujo

Está pegando fogo a eleição para o conselho do Postalis, o fundo de pensão dos Correios. São seis vagas: metade indicada pelos Correios, metade eleita. Há uma disputa.

O fundo é aquele que comprou bônus argentinos e venezuelanos e enterrou dinheiro na finada Gama Filho, quando ela já estava no corredor da morte.