Fruet e Ducci, mui amigos, mas nem tanto

Fruet e Ducci: Muiiii Amigos!!!!!!

Candidatíssimo a prefeito de Curitiba, o deputado federal Luciano Ducci (PSB) não perde uma oportunidade de cutucar o atual prefeito, Gustavo Fruet, que, diga-se, deixa na reta o tempo todo e todo o tempo.
Agora a discussão é sobre uma rua que Fruet teria cedido para que um Shopping a transformasse em estacionamento. Veja o que Ducci sapecou em seu perfil nas redes sociais:

Estou indignado com a decisão da Prefeitura de Curitiba de ceder uma rua pública para estacionamento particular de um shopping de Curitiba. É uma afronta aos moradores da cidade. Além de prejudicar o trânsito do Alto da XV, trazendo prejuízos para o sistema viário da região, abre precedentes para que ruas e espaços públicos sejam cedidos para a iniciativa privada. Aliás, quando prefeito, neguei pedidos deste mesmo shopping para fechar a rua João Dallegrave. Também vetei um projeto de lei, aprovado na Câmara Municipal, que liberava cancelas em ruas sem saída. Isso é crime. Com a palavra o Ministério Público.

UEL chama aprovados para cursos de pós graduação

Por Sérgio Luiz
Mesmo com a greve de professores e funcionários, a UEL está convocando os aprovados nos cursos de pós graduação 2015. O chamamento começou através de e-mail, enviado no final da tarde de ontem, 19/02. O e-mail detalha, entre outras orientações, como proceder a confirmação de matrícula e para impressão do boleto de pagamento, mas não informa nada sobre a greve. No caso do curso ‘História e Memória’, por exemplo, a documentação deve ser entregue até a próxima segunda-feira, o dia 23/02. Já o primeiro boleto tem o vencimento agendado para o dia seguinte terça-feira, 24/02

Professores continuam em greve

Ontem o governo do estado e o representante dos professores, a APP Sindicato, tiveram uma reunião de negociação. Mas o encontro, não foi suficiente para acabar com a greve, por enquanto foram mantidos apenas, os direitos trabalhistas (anuênio e quinquênio). Hoje eles irão discutir sobre o porte das escolas (colégios que tenham o mesmo número de turma, professores e servidores que tinham no ano passado).  A entidade ainda quer a contratação de mil pedagogos, mais professores temporários, abertura de mais de 2,4 mil turmas fechadas e das atividades do contraturno. A greve deve continuar na semana que vem.

Requião Filho quer informações do governo sobre “Pato Roco”

Aliás, tem mais gente querendo informações do governo do Paraná sobre o ex-assessor do governador Beto Richa, Marcelo Caramori, o Pato Roco, preso em Londrina acusado de exploração sexual de menores.

Um deles é o deputado estadual Requião Filho (PMDB).

É que chegou ao conhecimento dele que no meio da década de 90, em Foz do Iguaçu, Pato Roco esteve na cidade fazendo o que não devia. Pato Roco comercializava anúncios para uma revista ou jornal da Assefaz – a Associação dos Servidores da RF. Segundo estas informações, portando uma carteira da PF, visitava os comerciantes de Ciudad del Este, no Paraguai, para vender anúncio para o impresso. Invariavelmente dava um jeito de apresentar a carteira da PF.

Os comerciantes compravam os espaços publicitários e nem queriam saber se realmente os anúncios eram publicados. Queriam apenas ficar de bem com os federais. Para os melhores clientes, Roco também teria distribuído adesivo da Polícia Federal. A casa caiu quando um empresário coreano foi barrado numa fiscalização e os policiais quiseram saber onde ele conseguira o adesivo da PF grudado no vidro do carro. Ele contou a história.

O caso foi para os ouvidos dos superiores. Pato Roco desapareceu de Foz.

 

Governo não consegue explicar função de Caramori; coordenador da Comel “estranha” questionamentos do JL

Do blog Baixo Clero/Fábio Silveira

As dúvidas sobre as funções exercidas pelo fotógrafo Marcelo “Tchello” Caramori e onde ele dava expediente no governo do Estado durante o primeiro mandato do governador Beto Richa (PSDB) não são privilégio do contribuinte. O governo do Estado também não sabe dizer onde ele trabalhava. Caramori está preso sob a suspeita de favorecimento à prostituição.

O JL questionou a Casa Civil sobre a contratação de Caramori. A resposta dada por e-mail foi que o fotógrafo “prestava serviços para a Coordenação da Região Metropolitana de Londrina (Comel)”. Ao questionamento sobre a estrutura do Estado que era usada por Caramori [para trabalhar, se fosse esse o caso], a resposta foi que “esta pergunta deve ser dirigida à Comel, para onde foi designado [Caramori]”.

Ontem o coordenador da Região Metropolitana de Londrina, Victor Hugo Dantas, devolveu a batata: negou que Caramori trabalhasse na Comel e disse que ele era “funcionário da Casa Civil”.

Dantas aproveitou a entrevista à repórter Tatiane Salvatico, do JL, para dizer que gostaria de entender o motivo pelo qual o jornal queria explicar o trabalho de assessor.

A curiosidade de Dantas sintetiza a crise vivida pelo Paraná: o governo contrata comissionados sem saber com que objetivo e na hora que as contas apertam, parte para cima do contribuinte (tarifaço) e do funcionalismo (pacotaço) e que por conta da má gestão precisa “juntar dinheiro” para fazer frente à folha de pagamento.

Mário Takahashi explica o porquê do conceito aleatório da esfera continuada

Das curiosidades da política.

Ontem a Câmara de Londrina rejeitou o projeto de lei proposto pelo vereador Wilson Bitencourt (PSL) que permitia a certificação de obras por arquitetos e técnicos. Apoiado pelo Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura e outros órgãos relacionados, que argumentam que a lei daria agilidade aos processos na prefeitura, desafogando o trabalho e facilitando a vida de quem faz obras na cidade, seis vereadores votaram contra: Roberto Fú (PDT), Jamil Janene (PP), Gustavo Richa (PHS), Gaúcho Tamarrado (PDT), Emanoel Gomes (PRB) e Mário Takahashi (PV).

Só para lembrar, o grupo contrário ao projeto perdeu a eleição para a escolha do novo presidente da Câmara e acusa Bitencourt de ter virado a casaca, votando no adversário.

O grupo nega, mas ficou claro que a derrubada do projeto de lei é reflexo ainda da mágoa contra Bitencourt.

Ao ser entrevistado pelo intrépido repórter Carlos Oliveira, da Rádio Paiquerê AM, Takahashi, não com estas palavras, mas provocou uma tergiversação brutal para explicar que o projeto é ótimo mas que, veja bem, entretanto, para melhor mudar a figura da questão solitária no processo inventivo das obras em objeto que não são artísticas e que podem influenciar o rumo das pombas que defecam no centro da cidade, é melhor reestudar o projeto.

 

Imprensa no Gaeco, tensão no ar

Hoje no final da tarde mais uma vez a imprensa de Londrina aboletou-se em frente à sede do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado. Estava atrás de novas informações sobre a prisão dos envolvidos na denúncia de exploração sexual de menores. Hoje foi ouvida uma das mulheres envolvidas no caso. O frisson era pela revelação de novos nomex além dos já mencionados, como o do ex-assessor do governador Beto Ficha, Marcelo Caramori, do ex-delegado da Receita Estadual em Londrina e do ex-auditor fiscal. Os três estão presos.
A mulher estaria negociando a famosa delação premiada. Se for confirmada a delação,  poderá haver gemidos e ranger de dentes em muitas boas casas de família da cidade.

Vereadores rejeitam projeto de lei sobre certificação de obras

Projeto que pretendia dar a arquitetos e técnicos habilitados pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) e de Arquitetura e Urbanismo (CAU), direito de emitir atestado de responsabilidade técnica para obras em Londrina, foi rejeitado.

Os vereadores Gaúcho Tamarrado, Emanoel Gomes, Jamil Janene, Gustavo Richa, Mário Neto Takahashi e Roberto Fu foram contra. O projeto era do vereador Vilson Bittencourt.  Segundo as más e indignadas línguas, essa seria uma retaliação contra Bittencourt que prometeu ficar do lado do grupo – na formação das comissões permanentes do Legislativo -, mas na última hora desconversou e mudou de lado. No projeto arquitetos e técnicos poderiam certificar obras em Londrina, se cadastrados na Secretaria Municipal da Fazenda.

Vereadores de Londrina vão “resolver” os problemas do Pacotaço do Richa

E a Câmara de Londrina, já que todos os problemas locais estão resolvidos, aprovou a formação de uma Comissão Especial para acompanhar a discussão sobre o Pacotaço do Beto Richa na Assembleia Legislativa.

Seguem na próxima semana para Curitiba os vereadores Gustavo Richa (PHS), Emanoel Gomes (PRB) e Jamil Janene (PP).

Pronto, agora vai.

Cheida e Kireeff devem se encontrar nos próximos dias para bater o martelo sobre a Secretaria de Meio Ambiente

A Secretaria de Meio Ambiente de Londrina ainda é uma incógnita. O prefeito Alexandre Kireeff já teve uma primeira conversa com o ex-deputado e ex-Secretário de Meio Ambiente do Paraná, Luiz Eduardo Cheida. Faltam alguns detalhes para que o nome seja anunciado. Cheida fez algumas considerações sobre o que ele pensa que deveria ser a ação principal da Sema em Londrina e quais as mudanças gostaria de fazer. Kireeff ficou de avaliar e marcar uma nova reunião com ele para os próximos dias.

Enquanto o encontro não acontece, José Carlos Bruno de Oliveira, presidente da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização, vai acumular, interinamente, o cargo de Secretário de Meio Ambiente, e tentar dar um gás no trabalho de poda de árvores.

Kireeff nomeia novo secretário da Agricultura

Londrina vai conhecer em instantes o novo secretário da Agricultura do Município. O nomeado é Vitor Santos Junior, engenheiro agrônomo formado na Universidade Estadual de Londrina.

A prioridade dele na função será a readequação das estradas rurais que foram castigadas pela sequência de chuvas.

Ele substituirá Rodrigo de Menezes Trigueiros que estava interinamente na função.

Ex-presidente da Sercomtel obtém vitória no STJ

O ex-presidente da Sercomtel, o advogado e jornalista Roberto Coutinho conseguiu uma vitória no Superior Tribunal de Justiça. Em maio de 2012, Coutinho foi denunciado por supostamente fazer parte de um esquema para corromper o vereador Amauri Cardoso (PSDB), de Londrina.

Segundo o advogado de defesa, Walter Bittar, ao pedir habeas corpus em favor de Coutinho, sustentou que o seu cliente “foi enganado pelo GAECO pois deveria ter sido ouvido como investigado mas foi ouvido como testemunha o que viola o direito de defesa de ser advertido de que é objeto da investigação”.  A decisão, por unânimidade, acata a tese de que houve violação à Constituição.

O processo continuará, porém sem os depoimentos dele. Agora Bittar entrará com um recurso para que Coutinho seja excluído do processo

Católicos lançam ‘Campanha da Fraternidade’. Um dos assuntos é a Reforma Política

A nova Campanha da Fraternidade, da Igreja Católica, vai abordar o tema “Igreja e Sociedade” e o lema “Eu vim para servir”. A intenção é que sociedade e igreja estejam em perfeita comunhão. Uma das ações realizadas em Londrina, através da Catedral, será a coleta de assinaturas nas paróquias de 16 municípios da arquidiocese, para apoiar a reforma política. Ou assunto na  pauta  deste ano é a mobilização contra dengue, objetivo é mostrar que o cristão deve estar mais ativo dentro da sociedade.

Sobre Patos e laranjas

“E esse Pato cai bem com laranja….aliás parece que laranja é o que não falta”.

Rogério Campos, em seu perfil no facebook, sobre a denúncia contra o ex-assessor do governador Beto Richa, acusado de exploração sexual.