Apertando os Laços? Será?

E hoje de manhã, assim, como as coincidências, ou não, acontecem, o deputado federal Marcelo Belinati (PP) e o diretor do Fomento Paraná, Luiz Renato Hauly (PSDB), conversavam animadamente nos corredores da TV Tropical (CNT), Londrina. O assunto? Política municipal, eleições 2016.

 

 

Kireeff, a noiva do dia

Ontem o PSD veiculou suas inserções nas emissoras de televisão. Curiosamente o presidente estadual do partido, ex-deputado Eduardo Sciarra, usou seus 30 segundos para rasgar elogios ao prefeito de Londrina, Alexandre Kireeff, que administra a segunda maior cidade do Paraná e a segunda maior nas mãos do PSD.

Ocorre que Kireeff está seriamente inclinado a ir para o PV, de Álvaro Dias, que, inclusive, fez inúmeros elogios a ele num pronunciamento no Congresso recentemente.

No estádio Mané Garrincha, o mais caro do Brasil, falta água quente e até móveis

“Acho que é um pouco ofensivo um estádio custar tão caro e faltar água quente, mobília e ter um gramado tão ruim”, disse Levir em entrevista coletiva, ontem, depois da classificação do Fluminense na vitória por pênaltis sobre o Inter, pela Primeira Liga.

O Mané Garrincha foi o estádio mais caro construído para a Copa do Mundo, com custo estimado pelo Tribunal de Contas do DF em R$ 1,7 bilhão. O valor, segundo os cálculos, é 153% maior do que os R$ 670 milhões previstos inicialmente no projeto.

PMB de Londrina faz ação para filiar novos membros

E a comissão provisória do Partido da Mulher Brasileira, presidida por um homem, Aldecir dos Santos, vai fazer uma ação no Calçadão de Londrina, neste sábado de manhã, para filiar novos membros.

PSOL discute política atual e convida interessados

O PSOL-Curitiba, desde ontem, está promovendo rodas de conversa sobre o atual momento político brasileiro. Segundo o partido, o objetivo é construir coletivamente um posicionamento e ações diante do acirramento da crise política e econômica pela qual passa o país.

As reuniões são abertas ao público e estão acontecendo na sede do PSOL, em Curitiba,  no 13º andar do Ed. Asa (R. Voluntários da Pátria, 475), na praça Osório, sempre a partir das 19h00.

Ducci nega te recebido um quaisquais da empreiteira Odebrecht

O ex-prefeito de Curitiba, o deputado federal Luciano Ducci (PSB) nega que tenha recebido qualquer dinheiro da empreiteira Odebrecht.

“Na minha campanha à reeleição, em 2012, não recebi recursos da Odebrechet. Todas as doações de minha campanha estão com origem declarada na minha prestação de contas, seja pessoa física ou jurídica, aprovada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Sobre os recursos recebidos do diretório do PSB, em 2012, não tínhamos controle sobre sua origem. Vale destacar que a Prefeitura de Curitiba não mantinha contratos com a Odebrechet”, disse ele em nota encaminhada ao blog.

Nota Oficial do Ministério Público Federal sobre a colaboração da Odebrecht

O Ministério Público Federal, diante da nota emitida pelo Grupo Odebrecht em 22 de março de 2016, bem como da sua repercussão na imprensa, vem esclarecer:

1. não existe sequer negociação iniciada sobre acordos de colaboração com executivos ou leniência com o Grupo Odebrecht;

2. a simples manifestação dessa vontade pela imprensa, seja por indivíduos, seja por qualquer grupo empresarial investigado, não possui qualquer consequência jurídica, motivo pelo qual as investigações e atos processuais continuarão em andamento;

3. a divulgação de qualquer intenção de acordo através de imprensa fere o sigilo das negociações exigido pela lei para a celebração do acordo;

4. a simples intenção demonstrada não tem o condão de descaracterizar a contínua ação do Grupo Odebrecht em obstruir as investigações em andamento, como ficou caracterizado na recente 26ª fase da Operação Lavajato, com a tentativa de destruição de seu sistema de controle informatizado de propina;

5. o Ministério Público Federal mantém o entendimento de que acordos de leniência e de colaboração premiada somente são possíveis com o completo desvelamento, por parte dos envolvidos, dos fatos criminosos que já são investigados, além da revelação plena de outras ilegalidades que tenham cometido e que ainda não sejam de conhecimento das autoridades, e da reparação mais ampla possível de todas essas ilegalidades.

Ricardo Barros aparece com destaque na lista da Odebrecht

Do Angelo Rigon

rblista

O deputado federal Ricardo Barros, tesoureiro-geral do PP, vice-líder da presidente Dilma Rousseff e marido da vice-governadora de Beto Richa (PSDB), Cida Borghetti (PP), aparece na relação de cerca de 200 nomes de políticos brasileiros que receberam repasses da Odebrecht.
Seu nome aparece no item 70 dos documentos apreendidos na casa de Benedicto Barbosa Silva Júnior, presidente da Odebrecht Infraestrutura, conhecido como BJ, na fase Acarajé da Operação Lava Jato.
Na planilha, Ricardo Barros aparece ao lado de outros três políticos do PP que teriam recebido R$ 850 mil. O documento tem data de 6 de setembro de 2012.(leia mais)

Ex dono da rede de lojas Dudony é condenado a 4 anos de prisão

Do Angelo Rigon

O empresário Antônio Donisete Busíquia, que foi dono da rede de lojas Dudony, foi condenado a quatro anos e cinco meses de prisão, em regime semiaberto, por crime contra a ordem tributária, em decisão de primeira instância. A informação está em reportagem de Murilo Gatti, em O Diário de hoje.
A decisão é do juiz da 4ª Vara Criminal de Maringá, Givanildo Nogueira Constantinov, que também condenou, pelo mesmo crime e com a mesma pena, o então administrador da empresa Markoeletro Comércio de Eletrodomésticos Ltda., Valter Luiz dos Santos. (leia mais)

Moro será investigado pelo CNJ

O juiz Sérgio Moro é alvo de 12 representações que pedem ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), para ver se o juiz cometeu infrações. Nove representação são relativas a interceptação de um telefonema do ex-presidente Lula com a atual presidente, Dilma Rousseff, ambos do PT. Os pedidos foram apresentados por sindicatos, advogados de várias partes do Brasil e um vereador ligado ao PT. Outra representação envolve 14 senadores – entre eles Gleisi Hoffmann, Humberto Costa e Lindbergh Farias-, investigados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no caso Lava Jato.

No listão de doações da Odebrecht aparecem os nomes de mais de 200 políticos, inclusive da oposição

do UOL

Documentos apreendidos pela Polícia Federal listam possíveis repasses da Odebrecht para mais de 200 políticos de 18 partidos políticos. É o mais completo acervo do que pode ser a contabilidade paralela descoberta e revelada ontem (22.mar.2016) pela força-tarefa da Operação Lava Jato.

As planilhas estavam com Benedicto Barbosa Silva Júnior, presidente da Odebrecht Infraestrutura, e conhecido no mundo empresarial como “BJ”. Foram apreendidas na 23ª fase da operação Lava Jato, batizada de “Acarajé”, realizada no dia 22.fev.2016.

Como eram de uma operação de 1 mês atrás e só foram divulgados públicos ontem (22.mar) pelo juiz federal Sérgio Moro, os documentos acabaram não sendo mencionados no noticiário sobre a Lava Jato.

As planilhas são riquíssimas em detalhes –embora os nomes dos políticos e os valores relacionados não devam ser automaticamente ser considerados como prova de que houve dinheiro de caixa 2 da empreiteira para os citados. São indícios que serão esclarecidos no curso das investigações da Lava Jato.

Os documentos relacionam nomes da oposição e do governo: são mencionados, por exemplo, Aécio Neves (PSDB-MG), Romero Jucá (PMDB-RR), Humberto Costa (PT-PE) e Eduardo Campos (PSB), morto em 2014, entre vários outros.

Do Paraná, entre outros, estão Ratinho Jr, Luciano Ducci.

A apuração é dos repórteres do UOL André Shalders e Mateus Netzel (Leia mais)

 

O momento é de bravatear: “Não haverá um dia de paz sobre o Brasil’, diz MTST

O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra  e da Frente Povo sem Medo, que integra organizações ligadas a movimentos sociais afirmou categoricamente que se o impeachment da presidente Dilma acontecer e se o ex-presidente Lula dor preso “Não haverá um dia de paz sobre o Brasil. O Brasil será incendiado por greves, ocupações e mobilizações podem ocorrer”.