Álvaro Dias defende também a saída de Michel Temer

dias

Da Coluna Esplanada/Leandro Mazini

O alvo de parte da oposição também é o vice Michel Temer.

“Pau que bate em Chico, bate em Francisco”, diz o senador Álvaro Dias (PSDB-PR), ao defender o impeachment do vice-presidente Michel Temer por ele ter assinado decretos das “pedaladas fiscais” alvo do TCU.

De 2014 até este ano, o vice assinou decretos liberando R$ 67 bilhões em créditos suplementares – este é o alvo principal do pedido de impeachment da presidente Dilma, protocolado pelos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Jr, acolhido pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

 

, , , , , ,

Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann são citados por delator como beneficiários de propina

Gleisi e Bernardo com a presidente Dilma, a que também nunca sabe de nada

Mais um petista entra na alça de mira dos delatores mais que premiados. Agora é o ex-ministro do Planejamento do governo Lula e das Comunicações, do governo Dilma Rousseff, Paulo Bernardo da Silva.

Conforme a Folha de São Paulo, o ex-vereador petista Alexandre Romano disse em delação premiada dentro da Operação Lava Jato, que investiga corrupção na Petrobras, que dividia propinas ligadas ao Ministério do Planejamento com o ex-ministro Paulo Bernardo e com o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, entre 2010 e 2012.

Os desvios no Ministério do Planejamento, desde 2010, podem ultrapassar os R$ 50 milhões.

O PT e Bernardo não quiseram falar sobre o assunto. (leia mais)

, , , , ,

PTB desembarca da canoa de Dilma Rousseff e acredita que haverá impeachment

, , , , , , , , , ,

Mesmo depois das revelações no Fantástico, Dilma defende Graça Foster

A ex gerente da diretoria de abastecimento da Petrobras, Venina Velosa da Fonseca, disse ontem, com todas as letras, silabas e crases, em entrevista ao programa Fantástico, da REde Globo, que falou pessoalmente com a presidente da empresa Graça Foster sobre as irregularidades que estavam acontecendo, principalmente na área de comunicação.

Venina contou ao programa que falou com Graça Foster pessoalmente, e também através de email. Disse ainda que levou ao conhecimento do seu superior na época, Paulo Roberto Costa as mesmas informações e não houve qualquer providência.

Hoje a presidente Dilma Rousseff voltou a defender Graça Foster e disse considerar que não há qualquer motivo para demití-la. (leia mais aqui)

, , ,