LEC enfrenta o Vitória. Dagoberto retorna ao time

O atacante Dagoberto também retorna às convocações
Foto: Gustavo Oliveira/LEC

do VEC

É jogo pra estádio cheio. Nesta terça-feira o Londrina enfrenta o Vitória do Estádio do Café. Vencendo encosta nos líderes. Vinte e três jogadores estão convocados para a partida. (leia mais)

, , ,

Londrina empata com o Botafogo e segue na Copa do Brasil

A hora de agradecer por mais um gol – Foto: Gustavo Oliveira/LEC

Foi um jogaço, pra quem gosta de emoção.

O Londrina empatou com o Botafogo da Paraíba (3 x3) e segue adiante na Copa do Brasil. Os gols foram marcados por Augusto – duas vezes – e Luquinha pelo Londrina. Nando – dois gols – e Clayton marcaram pelo time paraibano.

O jogo também marcou a estreia de Dagoberto, que fez uma partida discreta.

O Tubarão entrou em campo em vantagem por ter vencido a primeira partida do mata-mata por 2 a 0, na Paraíba. E logo no início da partida, o zagueiro Augusto escorou uma bola de cabeça depois de uma cobrança de falta. Pouco depois Nando empatou. Mas, apesar do placar sempre apertado, o LEC não chegou a sofrer em campo.

Anderson Leite e Luquinha, as duas realidades do Londrina, apesar da pouca idade, infernizaram o sistema defensivo do Botafogo e mostraram que estão prontos para assumir a camisa titular.

A torcida não foi a esperada, pouco mais de 2 mil pessoas foram ao estádio.

Na próxima semana a CBF vai sortear o adversário do Londrina na nova etapa da Copa do Brasil.

 

 

, , , ,

O Estádio do Café é obsoleto e precisa ser licitado para a iniciativa privada

Vou levar umas pedradas com o comentário que farei agora.

Há algumas décadas, quando o futebol era um esporte semiamador – nem sei se melhorou muito pra falar a verdade – as prefeituras, para agradar seus cidadãos, construíam estádios de futebol com dinheiro público. Muitos deles, em todo o Brasil, transformaram-se em áreas improdutivas em todos os sentidos.

A manutenção de um estádio é caríssima e, na minha opinião, não se justifica um gasto tão grande para beneficiar poucas pessoas e algumas empresas privadas.

Vejamos o caso do Estádio do Café, que eu frequento para torcer sempre para o glorioso e intrépido Londrina Esporte Clube. Ele foi construído pelo então prefeito José Richa para que o time da cidade, o Tubarão, pudesse participar do Campeonato Brasileiro  – na época, ainda no governo militar, eram mais de 80 times participando.

Hoje, sinceramente, o estádio é obsoleto. As arquibancadas ficam distantes do gramado, há graves problemas de infraestrutura, e é usado apenas e tão somente para a prática do futebol, ao contrário das modernas arenas multiuso – usadas para shows, eventos, etc, e que geram receita.

O Estádio do Café só gera prejuízo. Prejuízo que eu e você, contribuintes, pagamos.

Só para trocar o gramado – obra que será realizada no segundo semestre – serão necessários quase meio milhão de reais.

Uma hora a iluminação não funciona porque roubaram a fiação elétrica; os vasos sanitários dos banheiros, torneiras, pias, volta e meia, são furtados; as cadeiras precisam ser limpas ou trocadas quando quebram; isso sem contar a série de outros problemas que a gente nem fica sabendo.

O Londrina, quando tem calendário cheio, joga no máximo umas duas ou três vezes por mês no local. O outro time, a Portuguesa, menos ainda.

E quem paga a conta? Eu e você.

Hoje o futebol é gerido por empresas, que buscam o lucro e estão certas. Não há nada de errado em empreender e buscar lucro.

Porém, não se justifica mais uma cidade manter um estádio que beneficia empresas privadas. Elas ficam apenas com o bônus. O ônus é rateado com toda a população, inclusive com todos os que nem gostam de futebol.

É sempre uma discussão complicada, mas o ideal seria o estádio ser licitado e entregue à iniciativa privada, que poderia fazer as melhorias necessárias – ate construir um novo mais moderno e viável – e explorá-lo adequadamente.

Enquanto o estádio estiver nas costas da prefeitura, dificilmente sobrará dinheiro suficiente para modernizá-lo, até pelo motivo óbvio, há inúmeras outras prioridades na frente.

, , ,

E o prefeito Kireeff explica o estádio do Café

E diante do óbvio, as pancadarias por causa das condições do Estádio do Café – iluminação de boate, pintura lastimável e gramado apenas para jogos de pelada – o prefeito de Londrina, Alexandre Kireeff, disse o seguinte em seu perfil na rede social Facebook:

Bacana o jogo ontem, hein!! Público respeitável! Mas não é fácil encarar esse gramado tão deteriorado, a pintura descascada e o placar manual. Nessa hora, todos nós que descemos o pau no governo federal que liberou fortunas para serem investidos em estádios e não em hospitais e escolas, esquecemos de tudo isso e sentimos no fundo da alma cada comentário depreciativo dos comentaristas das TVs. Nós optamos por fazer nossos investimentos iniciais realmente em saúde e educação, construindo e aparelhando UPAs, UBSs, escolas, CRAS, Praças da Juventude, renovando nossa frota da saúde, da obras, agricultura, etc., recapeando ruas, duplicando avenidas, contratando mais de 1000 profissionais para a saúde e outro tanto de professores. Contratamos ainda mais de 200 guardas municipais, além de profissionais de todos os setores. Daí vc me diz: e para o Tubarão? Nada? Bem, nós conseguimos resolver a questão do Vitorino, isentá-lo das taxas dos jogos no Café, reformamos banheiros e acessos de acordo com o Corpo de Bombeiros e a Sercomtel virou patrocinador Master do time. Agora começaremos a implementar as ações que dão mais visibilidade. Para o final do ano, já contratamos uma empresa para a substituição desse nosso gramado, que foi substituído pela última vez para a realização do pré-olímpico, estamos providenciando a pintura e iremos licitar o placar eletrônico. Daí começa a melhorar aos olhos e, por consequência, a nossa própria auto-estima. É isso aí, boa tarde a todos!!!!!

Alexandre Kireeff, prefeito

, , ,