Pedágio será pela menor tarifa

Jonathan Campos – AEN

Depois de muita pressão, e esquivas pra todo lado, o governador Ratinho Jr, finalmente, desceu do muro. Hoje ele garantiu que a licitação do pedágio no Paraná, depois de negociações com o presidente Bolsonaro e o Ministro da Infraestrutura será pela menor tarifa sem limite de desconto na disputa na Bolsa de Valores, além da garantia de execução das obras por meio de um depósito caução e adequação no degrau tarifário das pistas duplicadas.

Enfim. Ratinho Jr atendeu a pressão de toda a sociedade que não aguenta mais ser espoliada pelas concessionárias de pedágio – aliás denunciadas por diversos crimes contra o Paraná. A Assembleia Legislativa, coisa rara, também teve participação efetiva nesta mudança de posicionamento.

Outro anuncio feito hoje é que Ratinho Jr não vai prorrogar os atuais contratos “um minuto sequer”. (mais…)

, , , ,

A “muderna” política do Paraná

Das curiosidades dessa política “muderna” tupiniquim.

O portal Plural conta que o filho mais novo do ex-governador Beto Richa foi nomeado em cargo comissionado na Assembleia. Segundo o jornalista Rogério Galindo, o  cargo tem salário de R$ 18,7 mil, mas com os benefícios o valor bruto em janeiro foi de R$ 19,7. Depois dos descontos, Rodrigo recebeu, segundo o Portal da Transparência da Alep, R$ 14,9 mil.

O caçula de Beto Richa, que tem 25 anos, está lotado na Primeira Secretaria.

E aí vem a curiosidade: a nomeação teve o dedo do amigo de Beto Richa, o deputado Luiz Cláudio Romanelli que lidera a frente parlamentar contra o Pedágio.

Em tempo, como foi denunciado pelo Ministério Público Federal, Beto Richa foi um dos beneficiários dos esquemões do pedágio. A Procuradoria Federal afirma que o tucano recebeu ao menos R$ 2,7 milhões em propinas pagas em espécie por concessionárias de pedágio no Paraná e outras empresas que mantinham negociações com o governo.

, , , , ,

Pedágio: MPF denuncia Richa, o irmão Pepe e outros 31 por organização criminosa

O bicho está ficando cada vez mais complicado para o ex-governador aposentado do Paraná Carlos Alberto Richa (PSDB).

O Piá de Prédio, como o chamava o ex-senador aposentado Roberto Requião de Mello e Silva, tornou-se réu mais uma vez. Ontem a justiça do Paraná aceitou denúncia formulada pelo Ministério Público Federal contra o ex-governador, agora acusado de corrupção passiva e organização criminosa. O caso é o da roubalheira dos pedágios do Paraná. Conforme o MPF, o esquemão tungou R$ 8,4 bilhões dos contribuintes paranaenses. Só em propinas teriam sido distribuídos R$ 35 milhões.

, , , ,

Alternativa à extorsão do pedágio

Criado no governo de Jaime Lerner há 20 anos, peça de campanha de Roberto Requião, que dizia que iria abaixar ou acabar, o pedágio drena absurdamente o bolso do paranaense.

O pedágio do Paraná é o mais caro do Brasil.

A foto ao lado mostra não uma cena da amazônia ou de algum rincão perdido pelo País, mas a estradinha perto de Jataizinho, usada por muita gente para desviar do pedágio que custa extorsivos R$ 21,00 para carros de passeio.

O motorista prefere arriscar até a danificar o carro do que ver seu dinheiro suado migrando para a conta das concessionárias de pedágio.

 

, , , ,