28 casos de dengue confirmados em Londrina. E aí, você vai colaborar?

Este blog muitas vezes critica ações da prefeitura de Londrina. Mas hoje é preciso criticar sim, mas a população de Londrina.

Ontem a prefeitura recebeu um relatório que é para se preocupar muito. Mostra que já foram confirmados 28 casos positivos de dengue em Londrina. Pior, com a presença dos dois vírus, os tipos 1 e 2 que é o mais agressivo. (mais…)

, ,

Planos de Saúde : a bola da vez !

por Omar Taha

Os meios de comunicação divulgaram recentemente reclamações generalizadas contra os planos de saúde. Pesquisa da Associação Paulista de Medicina constatou que 96% dos usuários de planos de saúde do estado de São Paulo tiveram dificuldade para usar o serviço. Demora em marcar consultas e exames, longa espera em pronto atendimento, falta de hospitais para a internação, demora para a aprovação de cirurgias são as principais queixas. (mais…)

, , , , ,

Tribunal de Contas suspende licitação na UEL

Do Tribunal de Contas

Indícios de irregularidade levaram o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) a emitir medida cautelar que suspende licitação da Universidade Estadual de Londrina (UEL) para a contratação de empresa prestadora de serviços de plantão médico em várias especialidades. A cautelar foi concedida pelo conselheiro Fernando Guimarães em 26 de outubro; e homologada na sessão do Tribunal Pleno da última quinta-feira (9 de novembro). (mais…)

, , ,

Portal da Transparência mostra: Cargo em Comissão na Saúde de Londrina R$ 8.122,00

Durante a campanha eleitoral de 2016 o então candidato a prefeito de Londrina, o médico e advogado Marcelo Belinati, dizia que havia R$ 500 milhões destinados à Saude da cidade. “Não falta dinheiro, falta gerenciamento, gestão”, dizia como um mantra sem fim.

Passados quase nove meses de mandato – tempo de uma gestação – a Saúde de Londrina mostra que não adianta torturar os números, eles são o que são.

Primeiro Belinati tentou contratar um médico para ser o Secretário de Saúde. O convidado aceitou, mas deixou claro que não poderia deixar sua atividade profissional para exclusivamente ser secretário. Não deu certo. O médico pediu exoneração.

Belinati então partiu para o plano B, C, D. Os médicos convidados não aceitaram pois sabiam do tamanho da encrenca.

O prefeito optou por um gestor fora da área médica. Houve protestos internos. Até hoje muitos dos servidores da Saúde não engolem a decisão.

Pois bem, não sobrava dinheiro na Saúde. Belinati mandou cortar horas extras, reduzir plantões, etc, para economizar. Tem sido cada vez mais comuns as reclamações de falta de médico nas UPAS, nos Postos de Saúde, demora no atendimento, etc.

Economizar mais ou menos. Pois tirou as horas extras dos funcionários, porém já nomeou na Saúde três cargos comissionados, com salários brutos que chegam a R$ 8.122,00. Está no Portal da Transparência.

, , ,