Gravata comprada em euro, protestos, Lula em Portugal

Não deixa de ser irônico o governo querendo taxar compras internacionais, feitas pelo comércio eletrônico, acima de 50 dólares.

Enquanto isso a mulher do presidente Lula, Janja, vai a loja de luxo em Lisboa. Disse ela que era para comprar uma gravata para o marido.

O presidente está em Portugal, segundo o Itamaraty, para assinar acordos e termos de cooperação.

Entre eles, estão o que concede equivalência aos Ensinos Fundamental e Médio do Brasil ao de Portugal e o que permite que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) tenha validade permanente em Portugal, e vice-versa.

Há protestos contra o presidente brasileiro devido as declarações dele sobre a guerra entre Russia e Ucrânia.

 

Compartilhe
Leia Também
Comente

4 Comments

  1. Campos

    Caralho! Como pode alguém se preocupar com a Janja comprando gravata pro Lula em uma loja chic em Lisboa? Se não foi paga com cartão corporativo, o dinheiro é dela, gasta como quiser. Bits gastos com tolice. Só essa medida dando validade permanete às carteiras de habilitação de brasileiros em Portugal vale mais de uma tonelada de gravetas do Ermenegildo Zegna.

    1. Genildo

      Aquele brasileiro que passa fome não vai dirigir nada em Portugal, sequer tem condições para uma viagem a falida Argentina. O imposto que a Esbanja deixou de pagar na compra da gravata de luxo pro Janjo fará falta no combate a fome que o PT defende. Tudo pelo social.

  2. Anubian

    Aposto que a gravatinha do Cachaça deve custar o preço de um carro popular no Brasil.

  3. Genildo

    O governo do PT esfolando as classes mais pobre,s mais uma vez.
    Um ponto pouco explorado e não divulgado pela imprensa:
    De acordo com a Receita Federal, os bens sujeitos ao pagamento do imposto de importação e que não se enquadrem como de uso pessoal serão isentos caso estejam dentro do conceito de bagagem acompanhada e até o limite da cota de US$ 1 mil (cerca de R$ 5 mil) para chegada por via aérea ou marítima e US$ 500 para entrada via terrestre. Os viajantes também podem trazer outros US$ 1 mil de lojas free shop  (aquelas do aeroporto).
    Ou seja, aquele burguês que viaja ao exterior tem o direito de trazer dentro da bagagem até US$ 1 mil, o baixa renda vai ter que pagar imposto em compras de US$ 10.
    Faz o L, o Fernando Tachad, agradece.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar
Anúncios
Paçocast
Anúncios