Dilma disse na campanha que mexer nos direitos do trabalhador “Nem que a Vaca Tussa”. Pois é, a vaca tussiu

Do Ultimo Segundo

Com as novas medidas, o governo espera economizar R$ 18 bilhões ao ano. Medidas atingem mais quem está entrando no mercado de trabalho e não mexem nas pensões já concedidas

O governo anunciou nesta segunda-feira (29) uma série de medidas que endurecem as regras para acesso aos benefícios do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e da Previdência Social. As novas regras atingem o abono salarial, o seguro desemprego, o seguro defeso, às pensões por morte e ao auxílio doença.

O objetivo do governo é economizar cerca de R$ 18 bilhões por ano, o equivalente a 0,3% do PIB, impondo regras que dificultam o acesso, principalmente dos iniciantes no mercado de trabalho, aos benefícios.

Na coletiva, o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, enfatizou que as novas regras não valem para quem já foi beneficiado.

“A lei não retroage”, garantiu o ministro. “Todas as mudanças respeitam integralmente todos os benefício que estão sendo pagos, não há alteração para trás”, disse Mercadante. (leia mais)

Deixe uma resposta