Ex-ministro da Justiça faz denúncia gravíssima contra Pazuello e Ricardo Barros

Eugênio Aragão, ex-ministro da Justiça, que fez a denúncia

do Angelo Rigon

O subprocurador da República e professor de Direito da UnB Eugênio Aragão disse ontem que soube que o governo Bolsonaro tentou interferir na compra de 39 milhões de doses da vacina Sputnik pelo Consórcio de Governadores do Nordeste. O deputado federal Ricardo Barros (PP) teria um laboratório no Paraná pelo qual seria feito o negócio.

Segundo Aragão, o ministro Pazzuello propôs comprar 200 milhões de doses do Fundo Soberano da Rússia, que não fechou o contrato, pois o governo federal queria condicionar o negócio da compra das 200 milhões de doses da vacina russa com o laboratório particular do ministro Ricardo Barros, do governo Bolsonaro, localizado no Paraná. Veja o trecho em que o ex-ministro da Justiça fala a respeito, na superlive de domingo do DCM:

Deixe uma resposta