Odebrecht está depondo e pode derrubar mais uns trocentos políticos

do UOL

O empreiteiro Marcelo Odebrecht depõe desde o início da tarde desta quarta-feira como testemunha na ação movida pelo PSDB no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O tribunal começa hoje a colher depoimentos de delatores da Odebrecht na ação em que investiga se a chapa formada por Dilma Rousseff e Michel Temer cometeu abuso de poder político e econômico nas eleições presidenciais de 2014 – ação que poderá levar à cassação do presidente Temer e à inelegibilidade da ex-presidente Dilma.

Odebrecht deverá ser inquirido pelo ministro Herman Benjamin, corregedor-geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a respeito de uso de dinheiro pago como propina pela empreiteira em contratos com a Petrobras no possível caixa 2 da campanha à Presidência de Dilma e Temer.

Em pelo menos um depoimento, a Odebrecht descreve uma doação ilegal de cerca de R$ 30 milhões à coligação Com a Força do Povo, que reelegeu Dilma e Temer em outubro de 2014. O valor representa cerca de 10% do total arrecadado oficialmente pela campanha. Se Marcelo confirmar a doação, tanto Dilma como Temer seriam implicados.

Odebrecht também deverá ser questionado sobre a afirmação do ex-diretor de Relações Internacionais da empreiteira, Cláudio Melo Filho, de que Temer teria negociado pessoalmente um pagamento de R$ 10 milhões ao PMDB em 2014. O depoente não pode permanecer calado durante o depoimento.

Por determinação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o teor do depoimento de Odebrecht ao TSE é sigiloso até que o Supremo Tribunal Federal (STF) decida se cabe ou não segredo sobre o conteúdo das 77 delações firmadas por executivos da empreiteira. (leia mais)

Deixe uma resposta