Voto Impresso Auditável

Voto auditável, urna e impressora

Por Renato de Castro Menezes*
Seria nossa urna eletrônica, sem a conferência impressa, aceita pelo critério alemão?

A PEC 135/2019, mais conhecida como a PEC do voto impresso auditável tem causado inúmeras controvérsias. Infelizmente ela ganhou um contorno mais partidário do que técnico. Virou o “Projeto do Bolsonaro”, ao qual os partidos de oposição devem derrotar, pois seria uma “derrota do Presidente”. Mas seria mesmo uma derrota “do Presidente”? (mais…)

, , , , , ,

É a banana comendo o macaco. Governo quer investigar o denunciante antes da denúncia

, , , , , , , , ,

Semana importante para definição do voto auditável

Bolsonaro e o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso- foto Marcos Corrêa/PR

da Veja

Publicamente, o discurso de ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é uníssono no sentido de que as urnas eletrônicas são totalmente seguras, que não há motivo algum para a implantação do voto impresso e que a medida representa um retrocesso de gasto bilionário desnecessário. Em caráter reservado, no entanto, integrantes da Corte Eleitoral já fazem uma avaliação mais pessimista — ou realista — do cenário que se desenha no Congresso, onde são concretas as chances de aprovação da proposta defendida fervorosamente pelo presidente Jair Bolsonaro. (mais…)

, , , , , , , ,

Oposição na CPI quer quebrar sigilo telefônico de Carlos Bolsonaro

De o Globo

A cúpula da CPI da Covid, em acordo com a ala oposicionista, que é maioria no colegiado, decidiu colocar em  votação nesta terça-feira a quebra de sigilo telefônico e telemática de oito pessoas ligadas ao governo, entre elas o filho do presidente da República, Carlos Bolsonaro (RJ).

Na pauta da sessão, destinada ao depoimento do ministro Marcelo Queiroga, consta também pedido de transferência de sigilo telefônico do ex-ministro Eduardo Pazuello, do ex-chanceler Ernesto Araújo, do ex-secretário de Comunicação da Presidência, Fábio Wajngarten, e suas empresas, e do assessor especial da Presidência, Filipe Martins.

, , , ,

Bolsonaro venceria no Paraná. Lula ganharia no Brasil. É o que diz a última pesquisa

Quem tem medo de pesquisa Eleitoral? Antes de você encerrar o dia e abrir o vinho para aquecer nesse frio, dá uma olhada na coluna de hoje sobre a pesquisa eleitoral, no nosso canal Lugar da Fala.

A pesquisa foi feita pelo Instituto Mapa, entre os dias 18 a 20 de maio, a pedido do Grupo RIC que retransmite a TV Record no Paraná e o Grupo ND.

, , , , , , , , , ,

Começa o novo pesadelo do governo Bolsonaro

, , , , , , , ,

Cila Schuman fala sobre as eleições 2022, pesquisas e a possibilidade de uma 3ª Via

, , , , , , , ,

Vereador Santão: Vai ter Barulho?

, , , , , , ,

Caixa paga 2ª parcela de R$ 300 da extensão do auxílio emergencial

Da Agência Brasil

Beneficiários do Bolsa Família podem sacar – a partir desta segunda-feira (26) – a segunda parcela do auxílio emergencial extensão de R$ 300 ou R$ 600, para mulheres chefes de família. (mais…)

, , ,

Senado fará sabatina com indicado para o STF na quarta-feira

Marcos Oliveira/Agência Senado

O Senado terá uma segunda semana de esforço concentrado para a sabatina de autoridades a partir da próxima segunda-feira (19). Entre as autoridades indicadas pela Presidência da República que dependem de aprovação dos senadores está o desembargador Kassio Nunes Marques, para integrar o Supremo Tribunal Federal (STF). Também estão na lista nomes para o Tribunal de Contas da União (TCU), para a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e para a diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). (mais…)

, , , , ,

Bolsonaro, Lula e Moro

Coluna do Carlos Brieckman

A pesquisa de agora é do PoderData: se a eleição fosse hoje, Bolsonaro iria para o segundo turno, com previsão de alcançar 41% de votos. Dois de seus adversários possíveis empatariam com ele: Lula (também 41%) e Sérgio Moro (40% a 37%, empate técnico – na última pesquisa, ambos tinham 41%). Os demais, ele venceria: Fernando Haddad, 42% a 34%; Ciro Gomes, com 15 pontos percentuais de diferença; João Doria, 13 pontos de diferença. (mais…)

, , , , , ,

Reforma Administrativa, tímida ou modernizadora?

A Reforma Administrativa, proposta pelo governo Bolsonaro avança em alguns pontos mas mantém privilégios de algumas castas de servidores como militares, magistrados, promotores, parlamentares.

Nesta entrevista com o advogado André Portugal, mestre em Direito Constitucional pela Universidade de Coimbra, ele mostra os avanços da proposta e o que poderia ser aperfeiçoado.

, , , , , , , , , ,