Operação Publicano: Habeas concedido pelo STF pode colocar uma pá de cal na operação

O ministro Gilmar Mendes (relator) concedeu a ordem, de ofício, em ambos os habeas corpus, para declarar a nulidade do segundo acordo de colaboração premiada do então fiscal da Receita Estadual Luiz Antonio de Souza, aquele que foi flagrado em um motel da cidade em companhia de menores de idade. (mais…)

, , , , ,

Gilmar ofende Dallagnol e quem paga a indenização somos nós

Talvez esteja mesmo certo aquele que diz que o Brasil precisa ser refundado. Há coisas que acontecem por aqui que beira o absurdo.

Ontem foi divulgado que o Ministro do STF Gilmar Mendes foi condenado por ofender o coordenador da Operação Lava Jato no Paraná, Deltan Dallagnol.

Mendes foi condenado, mas quem vai pagar a indenização de R$ 59 mil é a UNIÃO, ou seja, todos nós brasileiros contribuintes.  A decisão foi do juiz Flavio Antônio da Cruz, da 11ª Vara da Justiça Federal de Curitiba. (mais…)

, , , , ,

Flávio Bolsonaro, senador. Na mira do COAF. Veja por quê

, , , , , , , ,

Prepare-se para uma boa notícia: Lembra do apartamento cheio de dinheiro? STF condena Geddel e o irmão dele

Geddel Vieira Lima (José Cruz/Agência Brasil)

do Conjur

A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal formou maioria nesta terça-feira (22/10) pela condenação de Geddel Vieira Lima e de seu irmão, o ex-deputado Lucio Vieira Lima, pela ocultação de dinheiro em apartamento localizado em Salvador. (mais…)

, , , , , ,

Beto Richa é preso mais uma vez

Do G1

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) voltou a ser preso na manhã desta terça-feira (19), desta vez em uma operação do Ministério Público do Paraná. A prisão é preventiva, ou seja, por tempo indeterminado. A suspeita contra o tucano é de corrupção, e ele foi preso no apartamento onde mora.

(mais…)

, , , ,

Acusados na Publicano vão ser mesmo julgados em Londrina

E as ações da Operação Publicano começam a retornar a Londrina.

Ocorre que a Publicano havia parado porque o nome do governador Beto Richa foi citado nas investigações. Como ele tem foro privilegiado, o processo estacionou por determinação do STF.

Porém, ao analisar a questão, a ministra do Superior Tribunal de Justiça Maria Thereza de Assis Moura determinou que os demais acusados, sem foro privilegiado, sejam julgados pela 3ª Vara Criminal de Londrina.
veja abaixo:
(mais…)

, , , , , , ,