Governo encontra móveis do Alvorada após Lula culpar Bolsonaro e recomprar peças de luxo

da Folha de São Paulo

A Presidência da República encontrou todos os 261 bens do patrimônio Palácio da Alvorada que estavam desaparecidos e que foram motivo de troca de farpas entre os casais presidenciais Lula da Silva e Bolsonaro.

A disputa teve início durante a transição de governo, no início do ano passado, quando Lula (PT) e a primeira-dama Janja reclamaram das condições da residência oficial e apontaram que alguns móveis do patrimônio estavam faltando, quando Jair Bolsonaro (PL) e sua mulher Michelle Bolsonaro se mudaram do local.

A ausência dos móveis também havia sido um dos motivos alegados pelo novo governo para o gasto de R$ 196,7 mil em móveis de luxo, como revelado pela Folha.

Nesta quarta (20), Bolsonaro logo após a publicação da reportagem. “Todos os móveis estavam no Alvorada. Lula incorreu em falsa comunicação de furto”, disse no X, antigo Twitter.

Servidores levam móveis e preparam o Palácio da Alvorada, pouco antes da mudança do casal presidencial Lula e Janja – Pedro Ladeira – 6 fev. 2023/Folhapress

A Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência), após publicação da reportagem, disse que a busca pelos móveis revelou descaso com a manutenção do patrimônio, sem citar diretamente a família Bolsonaro.

“Os trabalhos foram finalizados somente em setembro do ano passado, quando todos os bens foram encontrados em dependências diversas da residência oficial. Ou seja, houve um descaso com onde estavam esses móveis sendo necessário um esforço para localizá-los todos novamente”, diz a nota.

O levantamento do patrimônio do Palácio da Alvorada pela Comissão de Inventário Anual da Presidência da República havia apontado preliminarmente, ainda em 2022, que 261 bens citados não haviam sido localizados durante os trabalhos.

Já início do governo Lula, em 2023, a Presidência da República afirma que uma nova conferência havia sido realizada e o número de bens desaparecidos diminuiu para 83.

O relatório final da comissão foi concluído só em setembro do ano passado, quando todos os itens foram encontrados.

A Folha questionou a Secom em qual local específico do Alvorada os móveis foram encontrados. A secretaria disse que eles estavam “nas diversas dependências” do palácio, sem fornecer mais detalhes. De acordo com pessoas com conhecimento do tema, boa parte estava em um depósito.

A chamada “guerra dos móveis” teve início nos primeiros dias de 2023, quando o presidente Lula reclamou de começar o seu governo vivendo em um hotel, sem poder se mudar para a residência oficial do Palácio da Alvorada. Reclamou do estado de conservação das residências oficiais do Alvorada e da Granja do Torto.

Durante um café da manhã com jornalistas, afirmou que Jair Bolsonaro e sua mulher Michelle “levaram tudo”.

“Não sei se eram coisas particulares do casal, mas levaram tudo. Então a gente está fazendo a reparação, porque aquilo é um patrimônio público”, afirmou o presidente, que ainda retomou o tema instantes depois.

“Pelo menos a parte de cima [do palácio], está uma coisa como se não tivesse sido habitada, porque está todo desmontado, não tem cama, não tem sofá. Possivelmente, se fosse dele, ele tinha razão de levar mesmo. Mas, ali é uma coisa pública”, completou.

Apesar de não ter um cargo oficial, a primeira-dama, Rosângela Lula da Silva, a Janja, é uma das conselheiras mais influentes do presidente

Após as falas do presidente, a Secom divulgou a informação de que 261 bens do patrimônio da Alvorada haviam sumido, reconhecendo posteriormente que esse número caiu para 83 móveis e outros itens.

Michelle reagiu ao governo Lula meses depois, em abril, afirmando que todos os móveis que foram levados eram dela própria e não bens públicos. Ironizou o casal Lula e Janja ao pedir a instalação de uma CPI dos móveis do Alvorada.

Em uma sequência de stories no Instagram, respondendo à pergunta de um seguidor, Michelle disse que os móveis estavam no depósito da Presidência e que utilizou a sua mobília própria a partir do segundo semestre de 2019.

A ausência dos móveis também foi apontada em abril do ano passado, como um dos motivos para a compra sem licitação de móveis de luxo para o Alvorada, sem licitação.

Foram adquiridos de uma loja de um shopping de design e decoração em Brasília uma cama, dois sofás e duas poltronas. Em outra loja, o governo comprou um colchão king size.

Os gastos mais altos foram com o sofá com mecanismo elétrico (reclinável para a cabeça e os pés), que custou R$ 65,1 mil e com uma cama de R$ 42,3 mil.

Modelo com dimensões idênticas e especificações similares ao sofá adquirido pela Presidência é vendido por R$ 63,4 mil – Renato Machado/ Folhapress

“Em janeiro deste ano, a curadoria das residências oficiais identificou que 261 móveis do Alvorada estavam desaparecidos. Após três meses de procura, 83 móveis ainda não foram encontrados. A ausência de móveis e o péssimo estado de manutenção encontrado na mobília do Alvorada exigiram a aquisição de alguns itens”, informou a Presidência na ocasião, ao ser questionada sobre a compra dos móveis.

Ao ser questionada agora, se a compra foi precipitada, considerando que os móveis não foram extraviados, o governo afirma que todos os motivos e justificativas para a aquisição dos bens foram expressos nos canais oficiais, com suas respectivas fundamentações legais.

“Cabe ressaltar ainda que os bens adquiridos passaram a integrar o patrimônio da União e serão utilizados pelos futuros chefes de Estado que lá residirem”, informou a Presidência.

(leia mais)

Compartilhe
Leia Também
Comente

8 Comments

  1. Décio Paulino

    Claro que Bolsonaro não ia querer ficar com móveis usados e algumas peças de decoração do Alvorada, que valiam – quando muito – uns R$ 50 mil. O casal Bolsonaro queria mesmo era o colar retido no aeroporto de Guarulhos que tinha mais de três mil diamantes e valia mais de R$ 15 milhões! Alguém acha que Bolsonaro ia levar cama e mesa? Ele levou foi Philippe Patek, Chopard, bens milionários.

  2. Satanás

    E eu vou lá discutir a bagunça que o Bozo e sua mulher fizeram com os móveis do Alvorada? Tiraram os móveis de lugar e, quando foram escorraçados de lá pelos eleitores, não devolveram os móveis para seus respectivos lugares. Safadeza e incompetência. Mas neste final de semano eu quero mesmo é estar em Criciúma, Santa Catarina, pra ver o show do Planet Hemp e o campeonato de skate. Bora lá, molecada de Londrina e região. Ajude aí, Marcelo! Quá! Quá! Quá!

  3. Genildo

    Qualquer um que conhece o mínimo da história da esquerda brasileira, capitaneados por Lula e PT, sabem bem que o importante para eles é viverem com regalias pagas pelo pagador de impostos. Móveis, imóveis, viagens, jetons, banquetes regalias faz parte da doutrina esquerdista: “tenho que ser bem recompensado pelo trabalho que ofereço a essa nação”.
    ““Os trabalhos foram finalizados somente em setembro do ano passado, quando todos os bens foram encontrados em dependências diversas da residência oficial.”
    Na boa gente, sem querer ofender aos agentes locais mas se tivessem solicitado apoio a policia do Maranhão esses bens teriam sido encontrado bem antes e mais uma fake news da esquerda teria sido desmascarada bem antes de denegrirem a imagem de alguém.

    1. Biro

      Foi um mero engano. Não tem porque tanto alarde. O Lula sabe o que faz.

      1. Genildo

        As unicas coisas que o seu presodente sabe fazer é mentir e roubar.

  4. Glaucia

    “Guerra dos móveis” foi hilário. kkkkk
    Pura incompetência da Comissão de Inventário Anual da Presidência da República, ou algum bolsonarista dessa Comissão poderia ter feito de propósito para prejudicar o novo inquilino, supostamente.
    O Presidente Lula não tinha obrigação de saber onde estavam alocados os móveis, mas poderia ter se contido na fala. Tem que enterrar Bolsonaro de uma vez por todas e cuidar da governabilidade, pois tem um Congresso Nacional nada republicano e democrático para manter as relações institucionais obrigatória entre os poderes.
    Agora, os móveis novos adquiridos pertencem ao patrimônio público. Ponto final. Bobagem ficar batendo nessa tecla, inútil.

  5. Campos

    Lula entra no Palácio Alvorada, residência do presidente da Republica, em janeiro, e encontra cômodos vazios, sem nenhuma mobília. Há um relatório feito no final do governo Bolsonaro dizendo que havia 261 móveis faltantes no local. Qualquer um concluiria o quê? A evangélica Micheque disse que vai processar Lula. Até agora não vi nada. Enquanto a Micheque e o marido rosnam por causa da situação, o MPF acusa o governo Bolsonaro de ter dado um prejuízo, em uma única licitação na compra de blindados para a PRF, de R$ 13 milhões! TREZE MILHÕES, NÃO DUZENTOS MIL EM MÓVEIS QUE SERÃO USADOS DURANTE MANDATOS DE VÁRIOS PRESIDENTES. Essa licitação aprovada pelo Silvinei, pau-mandado do Bolsonaro na PRF, pagou por blindado R$ 6,3 milhões. O mesmo blindado foi oferecido por empresa concorrente por R$ 1,9 milhão.

    1. Genildo

      Certamente essa sera a desculpa usada pelo desgoverno petralha para justificar a omissão na compra de vacinas contra a dengue, no entanto nomeou Rui Costa como ministro, o responsavel pela compra de 300 respiradores em plena pandemia de covid pela bagatela de 48 milhões em uma empresa de venda maconha.
      O governo esquerdista é feito de marketing e narrativas, nada mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar
Anúncios
Paçocast
Anúncios