Joaquim Levy, ex-ministro de Dilma, vai comandar BNDES

do G1

Ao final de uma semana em que tomou conhecimento mais detalhado da realidade das contas do governo, o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, também avançou na montagem de sua equipe. Ele acertou a presença de nomes já conhecidos na administração federal: Ivan Monteiro, Joaquim Levy e Mansueto Almeida vão participar do governo Jair Bolsonaro.

Ivan Monteiro deve continuar na presidência da Petrobras na gestão Jair Bolsonaro; Joaquim Levy, que está no Banco Mundial, deve ser o presidente do BNDES e Mansueto Almeida pode continuar na Secretaria do Tesouro ou ser o Secretário de Fazenda – cargo que corresponderia ao de ministro da Fazenda , mas que, com a nova estrutura administrativa, perde o status de ministro para ficar abaixo do ministro da Economia, que será de Paulo Guedes.

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida. — Foto: Marcelo Camargo/Agência BrasilO secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida. — Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida. — Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Para dar resposta às tantas atribuições que terá a partir de janeiro do ano que vem, Guedes escolherá também o secretário de Planejamento e também o secretário de Indústria e Desenvolvimento, cargos correspondentes aos dos ministros de hoje.

A permanência de Ivan Monteiro na presidência da Petrobras já foi comunicada ao atual governo. Monteiro também fez uma apresentação sobre os números da companhia ao vice-presidente eleito Hamilton Mourao e foi elogiado pelos resultados obtidos; e também teve conversa com o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes. (leia mais)

2 comentários em “Joaquim Levy, ex-ministro de Dilma, vai comandar BNDES

  • 12/11/2018, 11:26 em 11:26
    Permalink

    Então o ex-ministro da Dilma vai ajudar o Bolsonaro a abrir a “caixa-preta” do BNDES? Com certeza vai encontrar nessa caixa-preta dois cabos eleitorais do Bolsonaro que emprestaram dinheiro a rodo do BNDES. O dono da Havan que emprestou mais de R$ 20 milhões para alavancar seus negócios (que vão afundar em breve) e o dono do Condor que emprestou quase R$ 50 milhões. Tudo nos governos Lula e Dilma. Bom saber se estão pagando o que devem ao BNDES direitinho…

    Resposta
    • 13/11/2018, 00:18 em 00:18
      Permalink

      Não, meu amigo. Os amigos do Bolsonaro ficam na “caixa-preta” especial, aquela que ninguém vai abrir. Você acha que o Bolsonaro vai deixar o ex-ministro da Dilma mexer com o Dória, com o Luciano Hulk, com o Hang ou o Zonta? Never, meu chapa.

      Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: